Após Cereto apontar 'lacração política', Rizek manda a real: 'Não se posicionar é um posicionamento'

·1 minuto de leitura


O anúncio da Copa América no Brasil segue gerando debate dentro e fora do universo do esporte. Nesta quinta-feira, o apresentador do SporTV André Rizek se posicionou em sua rede social sobre a situação política nacional, e o comentário foi entendido como uma resposta ao colega de emissora Carlos Cereto. O jornalista havia criticado uma suposta "lacração política".

+ SIMULADOR: Saiba quem seu clube enfrenta na próxima rodada do Brasileiro

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

+ Começou o Brasileirão! Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

- Queridinhos e queridonas, não se enganem. “Não se posicionar” é, também, um posicionamento e uma escolha política. Ainda mais no Brasil de hoje. Bom dia - digitou ele no Twitter. Muitos internautas entenderam a fala como uma resposta ao colega.

+ Denúncia de assédio sexual: relembre 12 polêmicas envolvendo Neymar

O jornalista é crítico do governo do presidente da república Jair Bolsonaro, que acertou com a Conmebol a realização do evento no Brasil, neste mês. A Copa América havia sido descartada por Colômbia e Argentina. Neste contexto, o narrador Luís Roberto detonou a novidade: "Um tapa na cara do brasileiro". Além dele, Galvão Bueno enfiou farpas na realização.

Quem também se colocou foi o deputado federal pelo PSL-SP Eduardo Bolsonaro, que acusou um "mimimi" da Globo por não ter os direitos de transmissão da competição. Nesta quarta, Cereto detonou as avaliações políticas dos colegas do jornalismo esportivo.

- Quando foi que o jornalismo esportivo se transformou numa grande lacração política? Saudade de quando a imprensa esportiva achava que só entendia de futebol - comentou o jornalista.