Após ação de Mussa, Justiça determina eleição do Vasco para o dia 14/11 e por meio eletrônico

Felippe Rocha
·1 minuto de leitura


Os bastidores do Vasco seguem fervilhantes. Na noite desta terça-feira, poucas horas depois da reunião que definiu o adiamento da eleição, uma ação na Justiça do presidente da Assembleia Geral do clube, Faués Mussa, foi aceita. Assim, o pleito foi marcado para o dia 14 de novembro, e por meio eletrônico.

Na decisão, a juíza Débora Maria Barbosa Sarmento fez referência a cuidados recentemente elencados por Mussa em função da corrente pandemia de Covid-19: "Tal forma de votação, além de garantir a preservação da saúde e segurança dos associados, viabilizará o exercício amplo e irrestrito do direito de voto dos sócios do clube."

Mais cedo, em São Januário, uma reunião entre os cinco candidatos terminou com acordo para o adiamento da eleição anteriormente marcada para este sábado, dia 7. Presidentes dos poderes também foram convocados e Silvio Godoi esteve presente. Mussa, por questão de saúde, foi um dos que não compareceu. Houve início de entendimento para que o pleito ocorra de forma híbrida. Uma nova reunião está marcada para quinta-feira.