Aos 54 anos, Mike Tyson retorna ao boxe para luta de exibição

·3 minuto de leitura
O ex-campeão de boxe Mike Tyson

O lendário ex-campeão dos pesados Mike Tyson anunciou nesta quinta-feira que retornará aos ringues aos 54 anos para uma luta de exibição contra o também americano Roy Jones Jr., de 51, em 12 de setembro em Los Angeles.

"Estou de volta", escreveu Tyson em sua conta no Twitter, junto com um vídeo de um de seus treinos numa academia.

Tyson, que está longe dos ringues há 15 anos após uma derrota para o irlandês Kevin McBride, enfrentará Roy Jones Jr. num confronto de oito rounds na Dignity Health Sports Arena em Los Angeles, de acordo com um comunicado publicado no site de seu novo projeto esportivo, "Legends Only League".

O texto diz que a luta, que poderá ser acompanhada por pay per view, tem a aprovação da Comissão Atlética do Estado da Califórnia, mas não especificou se terá presença de público ou outros detalhes.

"Será incrível", disse Tyson numa entrevista à ESPN.

O americano minimizou os riscos de qualquer lutador sofrer uma lesão grave, observando que as regras do estado da Califórnia exigirão que ambos usem um capacete no confronto.

"Nós dois somos lutadores talentosos", disse. "Nós sabemos como nos proteger. Nós ficaremos bem", destacou.

Tyson terminou sua carreira com um saldo de 50 vitórias e 6 derrotas com 44 nocautes, enquanto seu rival, que lutou pela última vez em fevereiro de 2018, tem um recorde de 66-9 com 47 nocautes.

Jones Jr. foi campeão mundial em quatro categorias entre 1993 e 2004, primeiro nos médios e super-médios e depois nos médios-pesados até segurar brevemente o cinturão dos pesados da WBA.

Tyson prometeu que a luta será competitiva e não apenas um show.

"Vamos mostrar nossas habilidades e lutar", disse "Iron Mike", que enfatizou que deseja recuperar a temível forma física que exibiu no passado.

"Se parecerá 100% com Mike Tyson no ringue", afirmou.

- "Não estamos acabados" -

O lutador do Brooklyn (Nova York) disse que quer mostrar como as pessoas mais velhas ainda podem ter destaque nos esportes.

"Esse evento vai ocorrer porque eu posso fazer isso e acho que outras pessoas acreditam que podem fazer algo idêntico", declarou Tyson.

"Nós não estamos acabados. Tem gente que diz que as pessoas mais estão acabadas, mas elas têm mais fãs do que os garotos que estão treinando agora".

Essa afirmação é uma das ideias por trás da "Legends Only League", uma plataforma produtora de eventos com a qual ele quer relançar ex-astros de vários esportes. Entre eles, Tyson mencionou os ex-jogadores da NBA Dennis Rodman e Allen Iverson.

Tyson foi o mais jovem campeão dos peso pesados da história aos 20 anos e quatro meses quando derrotou Trevor Berbick no segundo round em 1986, conquistando o cinturão do Conselho Mundial de Boxe.

Um ano depois, Tyson já era o campeão indiscutível da divisão e alcançando um recorde de 37 vitórias em 37 lutas.

Mas em fevereiro de 1990, em Tóquio, ele sofreu uma surpreendente derrota por nocaute no 10º round para James "Buster" Douglas.

Tyson foi preso por estupro em 1991 e condenado em 1992, cumprindo três anos de prisão antes de ser libertado em 1995 e voltar aos ringues.

Ele conseguiu recuperar o título, mas depois perdeu duas vezes para o americano Evander Holyfield, sendo que na segunda luta foi desclassificadopor morder a orelha do rival, o que lhe custou uma suspensão que o manteve fora do boxe por 18 meses.

O pugilista teve uma última chance de alcançar o cinturão da categoria, mas perdeu para o britânico Lennox Lewis em 2002 e se aposentou após seis rounds contra Kevin McBride em 2005 em sua última luta, apenas alguns dias após seu aniversário de 39 anos.

"Passei por algumas experiências e agora voltei", disse Tyson. "Eu tenho cuidado do meu corpo."