Aos 118 anos, mulher mais velha do mundo se prepara para levar tocha olímpica

·2 minuto de leitura
Kane Tanaka em março de 2019. Foto: Jiji Press/AFP via Getty Images
Kane Tanaka em março de 2019. Foto: Jiji Press/AFP via Getty Images

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Aos 118 anos, a japonesa Kane Tanaka carregará a tocha olímpica em maio, com um par de tênis novo. Ela nasceu no 2 de janeiro de 1903 e foi declarada a pessoa mais velha do mundo pelo Guinness World Records. Adiada no ano passado em decorrência da pandemia do novo coronavírus, a Olimpíada no Japão está prevista para começar em 23 de julho deste ano, com seu encerramento no dia 8 de agosto. 

Atualmente, essa simpática senhora vive em um asilo na cidade de Fukuoka e aguarda ansiosamente pelo momento em que levará o símbolo dos Jogos de Tóquio. Segundo o canal CNN, Tanaka ganhou os calçados de seus familiares como presente de seu último aniversário, para usá-los na condução do artefato olímpico. A previsão é que ela transporte a chama por cem metros, com o auxílio de uma cadeira de rodas, mas que consiga caminhar na parte final do percurso. 

Leia também:

A escolha de Tanaka veio a público em novembro de 2020. A pessoa mais velha a carregar a tocha é a brasileira Aida Gemanque. Aos 106 anos, ela participou do revezamento do objeto nos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Conhecida como Vovó Laiá, ela gostava de esportes radiciais e chegou a saltar de paraquedas quando completou cem anos. Em abril de 2020, aos 110 anos, morreu após parada cardiorrespiratória. 

Ao longo de sua existência, a japonesa Tanaka superou dois cânceres, duas guerras mundiais e vivencia uma segunda grande pandemia. Ela também trabalhou até os 103 anos na loja de arroz da família. Casou-se aos 19 e teve quatro filhos, cinco netos e oito bisnetos. Ao receber o título de pessoa mais velha do mundo, em março de 2019, ela foi questionada sobre qual havia sido o momento mais feliz de sua vida. Tanaka então respondeu: "Agora".