Ao LANCE!, atacante do Vasco fala sobre acesso, gols bonitos e projeta próxima temporada


A mescla da juventude com a experiência deu liga no Vasco. Com isso, o time ganhou o combustível necessário e garantir o acesso à elite do futebol nacional. Nesse contexto, um atacante está inserido como um dos destaques na temporada e ficou marcado por só marcar golaços. Ele mesmo: Figueiredo. Em entrevista exclusiva ao LANCE! o atacante contou sobre a emoção de ajudar no retorno do Gigante da Colina.

- Foi uma sensação de dever cumprido. Uma mistura de alegria, de alívio. Quando acabou o jogo me ajoelhei, deitei no chão, com aquela sensação de alívio realmente. Fico muito feliz de ter ajudado a colocar o Vasco de volta à série A, de onde nunca deveria ter saído - declarou Figueiredo.

Contra o Bahia, o jovem de 21 anos balançou as redes pela primeira vez com a camisa do Vasco. Por sinal, um golaço de fora da área. Mas os gols bonitos não pararam por aí (relembre no player acima). No entanto, fazer gol feio também é um desejo do atacante, que é alvo de brincadeiras nos bastidores do clube.

- No vestiário e no CT, a rapaziada toda brinca que eu faço os gols bonitos, e eu falo que quero fazer gol feio (risos), mas fico feliz em estar fazendo estes gols. Foram gols importantes e isso conta bastante. Contra o Bahia e Náutico, fico feliz em ter ajudado diretamente, mas sempre rola essa resenha lá - revelou o atacante.

Agora, o jogador vai ter a grande chance de disputar a Série A do Brasileirão. Com os recursos da 777 Partners, a cria da base almeja grandes conquistas. Contudo, entende que o caminho é longo. Como o próprio jogador diz: "só vive o propósito quem suporta o processo".

- De maneira pessoal quero me destacar na Série A. Quero poder ajudar o Vasco a conseguir disputar grandes competições, estar com o clube na parte de cima na tabela. Agora com a 777 terão muitos investimentos, pessoal vai chegar para ajudar e vamos manter a positividade que vai dar tudo certo, mas tudo é um processo. Aos poucos vamos conquistando nosso espaço. Tudo tem uma caminhada e contamos com o torcedor novamente neste processo - considerou.

Figueiredo - Vasco
Figueiredo - Vasco

Figueiredo deseja um Vasco forte brigando pela parte de cima da tabela do Brasileirão (Foto: Daniel Ramalho/Vasco)

CONFIRA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA:
PANORAMA DA TEMPORADA
-
Minha temporada foi muito positiva. Pude ajudar a equipe em várias funções. Acredito que fui uma peça importante para o grupo. A experiência de 2021 me ensinou muito, criou casca. Acredito que consegui melhorar bastante e fiz uma temporada boa, mesmo sabendo que ainda posso evoluir mais.

​AMADURECIMENTO
- Acredito que o que mudou foi minha mentalidade. Esse ano, eu estava muito melhor preparado mentalmente e acredito que isso foi o principal, e criei casca também depois de um ano conturbado em 2021, isso me ajudou bastante.

POLIVALÊNCIA
​- A série B pede muito isso. É uma competição muito disputada . São jogos muito disputados e você tem que dar seu máximo dentro de campo. E assim foi comigo. O Jorginho me colocou na função de lateral e, como ponta, fazemos também essa função de lateral, porque voltamos muito para marcar. Hoje em dia os pontas voltam bastante e graças a Deus pude ajudar a equipe. Fico feliz em descobrir que posso ajudar em mais de uma função.

CRIAS DA BASE
- Nós que somos da base temos muita identificação com o clube e esse acesso para nós é gratificante demais. Estar fazendo parte diretamente disso é muito bom. A base ajudou bastante, mas contamos com a experiência de outros jogadores e isso foi o casamento perfeito. Isso mostra que a base pode ajudar bastante.

- É preciso ter paciência com o jogador que sobe da base. Com certeza vários irão oscilar, assim como eu no passado, mas damos conta do recado tendo ajuda de jogadores experientes. Nós lidamos com essa responsabilidade muito bem. Temos toda estrutura que nos permite chegar também com o mental forte no profissional.

NOVO TREINADOR
- A questão do novo treinador, nós jogadores, não nos envolvemos muito em situações como esta. Isto fica mais para a parte da diretoria. Temos que estar preparados para quem vier e dar nosso melhor dentro de campo para fazer o Vasco vencedor.