Ao L!, treinador relembra título da Copa do Brasil do Santo André contra o Fla: 'Não fomos zebras'

Matheus Costa*
LANCE!


No dia 30 de junho de 2004, o modesto Santo André surpreendeu o poderoso Flamengo ao vencer por 2 a 0 e conquistar o título da Copa do Brasil. O feito, que calou um lotado Maracanã, foi considerado uma das maiores zebras da história do futebol brasileiro. Mas não para o comandante do campeão.

Em entrevista exclusiva ao L!, o treinador Péricles Chamusca, que trabalhava no Santo André na campanha, explicou a montagem do elenco para a campanha para a temporada de 2004.

- A conquista com o Santo André é, sem dúvida, uma das maiores da minha carreira. Também tive a felicidade estar no lugar certo na hora certa. Nós chegamos ao Santo André, que vivia um momento difícil, tinha perdido pontos na Série B e estava com pontos negativos por uma questão de regulamento, pois algum jogador tinha atuado de forma irregular. Estava em uma situação muito difícil na Série B, mas vivia um bom momento na Copa do Brasil. Depois da saída do Luiz Carlos Ferreira, nós chegamos e acho que a experiência que eu tive na época do Brasiliense nos ajudou bastante para fortalecer a confiança do grupo para que a gente acreditasse para chegar na final.

O grupo era muito qualificado, jogava um futebol competitivo e era um grupo muito comprometido. Diferenciado em relação a união, não tínhamos problema de união. Era uma coisa fantástica o relacionamento de treino e jogos. Para esse grupo eu ainda consegui trazer alguns jogadores nesse momento de chegada para deixar a equipe na melhor condição, tendo todas as características que a gente precisava. Além de ser um ano interessante de jogadores que subiram da base do time vencedor do Santo André do Sub 20 - afirmou.





Zebra? Não, obrigado.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Flamengo 0x2 Santo André - 2004
Flamengo 0x2 Santo André - 2004

Flamengo 0x2 Santo André - 2004 (Foto: Divulgação)

Entretanto, Péricles rejeitou o rótulo de zebra que foi atrelado à campanha do Santo André, que também eliminou o Palmeiras nas quartas de final. Segundo o treinador, o título foi conquistado por merecimento.

- A gente teve um ambiente muito propício de produtividade e, mais uma vez, com merecimento. Como eu falei na época, não era uma zebra. Nós ganhávamos os jogos contra equipes grandes e ganhávamos com merecimento. Não é que a equipe achava um gol e tinha o resultado. Era uma coisa construída com merecimento. Foi até a final com esse formato, que foi o nosso maior desafio. Depois do primeiro jogo e ter empatado com o Flamengo, ter que ganhar do Flamengo dentro do Maracanã. Era o grande desafio, mas que todos dentro do campo acreditavam e tinham muita confiança pelo que tinha construído até aquele momento da competição. Sem dúvidas, foi uma das maiores conquistas da minha carreira - concluiu.

*Estagiário sob supervisão de Tadeu Rocha.




Leia também