Ao L!, Mateus Vital diz querer buscar mais títulos pelo Corinthians e foca na Olimpíada: 'Sonho continua'

Alexandre Guariglia
LANCE!


Dois títulos paulistas, sendo um deles com protagonismo, e campeão do Torneio de Toulon com a Seleção sub-23: esse é o retrospecto de Mateus Vital aos 22 anos de idade e em pouco mais de duas temporadas pelo Corinthians. No entanto, em entrevista ao LANCE!, o jovem diz sonhar com muito mais objetivos, entre eles conquistas maiores pelo clube, como a Copa Libertadores, uma vaga na Olimpíada de Tóquio, em 2021, e um futuro na Europa.

Em conversa com a reportagem, Vital revelou não ter se abalado com o adiamento dos Jogos Olímpicos por conta da pandemia de coronavírus, que aconteceriam entre julho e agosto deste ano, e afirmar que mantém o sonho de ser convocado para tentar conquistar uma medalha de ouro.

- O sonho continua, já que tive a chance de ser convocado algumas vezes, pude estar com aquele grupo, em que só os melhores têm o prazer de fazer parte. Os Jogos foram adiados para o ano que vem, então é seguir buscando fazer o melhor em campo para chegar na época do torneio em alto nível. Será consequência de um trabalho bem feito no clube, jogando em alto nível, brigando por títulos - declarou o meia-atacante corintiano.



No entanto, os objetivos são maiores ainda quando o assunto é Corinthians, clube com o qual renovou contrato no início deste ano e prolongou o vínculo até o fim de 2023. Segundo o jovem, o desejo é conquistar títulos maiores pelo com a camisa alvinegra, entre eles a tão sonhada Copa Libertadores.

- Com certeza, quero buscar mais títulos, obter grandes conquistas para deixar meu nome marcado na história. Sonho em fazer com que o Corinthians volte a ganhar o Brasileiro, uma Copa do Brasil, que estivemos perto nos últimos anos, e também ir em busca de outro sonho, que é ganhar a Libertadores com a camisa do Corinthians - afirmou ao LANCE!.

Recentemente, Mateus Vital passou a ser agenciado por um novo empresário, o italiano Federico Pastorello, que é conhecido por ter uma boa entrada no mercado europeu e trabalha com nomes como Romelu Lukaku, da Inter de Milão. Mas Se depender do jovem meia, ainda há muito o que fazer pelo Corinthians antes de pensar em uma carreira no futebol do Velho Continente.

- Meu intuito de trocar de empresário não foi no sentido de querer ir jogar na Europa, mas sim para cuidarem melhor da minha carreira. Agradeço por tudo feito anteriormente (pelo empresário Carlos Leite), mas, juntamente da minha família, entendemos que era momento de uma mudança. Essas situações fazem parte do futebol. Já aconteceu comigo no passado, de receber propostas e não fui para a Europa. Mais para frente podem haver outras, mas a minha cabeça, neste momento, está totalmente no Corinthians e em poder voltar aos treinos no clube com o qual tenho contrato - concluiu.

Confira a entrevista completa de Mateus Vital ao LANCE!

Está muito ansioso pela volta aos treinos? O que fez durante a quarentena? Conseguiu fazer em casa todos os treinos passados pela comissão técnica?
Claro que a ansiedade existe, mas precisamos aguardar as determinações das autoridades para voltar com a devida segurança a todos. Temos que seguir os protocolos e priorizar a saúde neste momento. Durante a quarentena, cheguei a fazer alguns treinamentos diferentes, que eu não faço no clube, pois tive que adaptar. Mesmo no período que estávamos de férias, procurei fazer exercícios para estar bem fisicamente... Agora, com a orientação do clube, tenho procurado seguir tudo à risca para voltar da melhor forma possível.

Há algum receio pelo retorno às atividades por conta da pandemia?
Os órgãos responsáveis, autoridades e o próprio clube têm conversado bastante a fim de encontrar a melhor solução. A gente tem recebido informações e estamos na expectativa para o melhor momento. Todos nós vamos tomar os cuidados necessários para um retorno em segurança.

Como acha que o Corinthians deve voltar nos treinos para apagar a má impressão deixada na primeira parte da temporada? O que atrapalhou foi demorar a se adaptar ao novo técnico e ao novo estilo de jogo?
Temos que focar mais ainda nos treinamentos para entendermos o que o Tiago quer. Não é fácil mudar de uma hora para outra, jogadores saíram, outros chegaram, mas creio que já fizemos muita coisa boa nesses primeiros meses. Infelizmente, os resultados não estavam acontecendo, mas se Deus quiser, nessa volta vamos conseguir reverter essa situação.

Pensa que o calendário apertado nos próximos meses vai dar mais oportunidades a quem está na reserva, pois os times vão rodar mais? A nova regra de cinco substituições pode ajudar a rodar o elenco também?
Sim. Por isso todos temos que estar prontos para quando a oportunidade aparecer aproveitarmos e mantermos um nível alto. Isso também vai ser bom para mostrar a força do nosso grupo, que é muito qualificado. A regra é boa e também vai ajudar a manter um nível alto de competitividade, pois os atletas hoje são muito exigidos e muitas vezes o rendimento cai no fim das partidas.

Você fez apenas uma partida como titular neste ano e entrou em campo em seis dos 12 jogos oficiais do clube na temporada. O que acredita que pode fazer individualmente, de diferente, para conquistar um espaço maior no retorno?
Mostrar mais para o Tiago (Nunes, treinador) que sou capaz de jogar. Nessa volta vou focar mais ainda nos treinamentos para que isso aconteça. Ele já mostrou que conta com todo elenco e quem estiver melhor vai atuar. Estou confiante em retomar bem e fazer o meu melhor.



















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também