Ao L!, Henrique Almeida comemora recuperação e projeta sequência na Chapecoense: 'Uma sensação incrível'

·4 min de leitura


Uma das principais dificuldades na vida dos atletas profissionais são as lesões. Apesar de toda preparação para praticar esportes de alto rendimento, jogadores de futebol podem enfrentar essa realidade em algum momento da carreira. Foi o que aconteceu com o atacante Henrique Almeida, da Chapecoense, ao ficar fora dos gramados por 19 meses em virtude de uma lesão no tendão de Aquiles.

Ao retornar ao Verdão do Oeste, o jogador conseguiu se recuperar e nas últimas quatro partidas voltou a campo. Na sexta, ele foi titular no empate contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, sendo substituído aos 25 da etapa final. Em entrevista exclusiva ao LANCE!, o atacante comemorou o retorno, disse ser grato a Chapecoense e projetou uma sequência neste fim de temporada.

+ Confira e simule a tabela do Campeonato Brasileiro

- Foi uma sensação incrível, como se fosse a primeira vez em campo (voltar de lesão). Ficar longe do futebol foi muito difícil. Agora é desfrutar desse momento novamente - disse o atleta, que ressaltou que o período longe do gramado foi o mais difícil de sua longa carreira:

- Foi o pior momento sim (da carreira). Ficar longe dos gramados por 19 meses não foi fácil, juntando com a pandemia foi ainda mais difícil. Mas graças a Deus a recuperação foi um sucesso - pontuou.

Depois de deixar o Goiás, Henrique Almeida retornou à Chapecoense, onde fez a reta final de seu tratamento. O atacante disse ser grato pelo clube catarinense, elogiou os profissionais, o técnico Pintado, que deixou o clube recentemente, e os companheiros. Segundo ele, os outros atletas do clube os incentivaram a dar a volta por cima e a ganhar mais confiança para retornar aos gramados.

+ Chapecoense pode ter rebaixamento confirmado na próxima rodada

- A Chapecoense foi crucial, pois pegou a parte final do tratamento, a parte de transição para campo. Os profissionais aqui (do Verdão do Oeste) são ótimos, e com isso antecipamos a minha volta que estava prevista para o ano que vem - afirmou, e completou:

- Ele (o técnico Pintado, que o colocou contra Fortaleza e Bahia antes de pedir demissão - Felipe Endres tem estado à frente da equipe) teve uma importância muito grande, pois confiou no meu trabalho e já me colocou para jogar, fiquei muito feliz. Meus companheiros me apoiaram e me incentivaram sempre. Isso foi muito importante para minha confiança. Agora falta o ritmo de jogo, que já já estarei em forma - frisou.


A Chapecoense está praticamente rebaixada para a Série B e pode confirmar a queda nesta segunda, às 20h, diante do Flamengo, na Arena Condá. Com uma campanha bem abaixo do esperado, o time não consegue reagir e soma apenas 14 pontos, com uma vitória em 31 rodadas.

+ Confira mais notícias sobre o Campeonato Brasileiro

O jogador disse que o grupo quer honrar a camisa até o fim da competição e afirmou estar otimista em renovar seu contrato e ajudar o time na próxima temporada.

- Está muito complicado sim, mas nós jogadores estamos focados em disputar cada partida até o último minuto. Não vamos nos entregar independente de qualquer coisa vamos honrar esse clube - destacou, e emendou:

- Fizemos esse contrato de produtividade esse ano, podendo renovar para ano que vem. Estou otimista em poder ficar aqui e ajudar a chape no que for preciso. Mas ainda não conversamos sobre a renovação - revelou.

+ Chapecoense x Flamengo: prováveis times, desfalques e onde assistir


No período em que defendeu as cores do Esmeraldino, o atacante acabou se lesionando e não tendo a sequência que gostaria. Na época, o ex-presidente Marcelo almeida insinuou, em entrevista à Rádio Sagres, que sabia da lesão do tendão de Aquiles do atleta, mas foi voto vencido na contratação. O jogador disse ter carinho pelo alviverde e que todos tiveram acesso à ressonância que realizou na época.

- Eu tenho um carinho enorme pelo Goiás. Infelizmente minha passagem não foi como eu esperava. Tive a infelicidade da minha lesão se agravar lá, e os cuidados não foram os melhores. Quanto ao ex-presidente, ele é médico e ortopedista, e quando cheguei lá eu fiz uma ressonância antes de assinar o contrato, e todos tiveram acesso ao resultado inclusive ele! Então essa parte não é minha área - explicou, e fez um pequeno balanço da carreira:

+ Clássicos em São Paulo e Rio de Janeiro lideram audiência; Fórmula 1 na Band fica em quarto

- Fico muito feliz pela minha carreira e por quem sou dentro do futebol. Tudo vai de ponto de vista de quem tá olhando. Sou realizado no futebol, tive oportunidade de jogar com grandes jogadores e em grandes clubes e grandes ligas. Ganhei títulos, artilharias e também já tive decepções, essa é a vida! - finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos