Ao L!, Fagner diz querer uma vitória no Dérbi para celebrar a marca de 350 jogos pelo Corinthians

Alexandre Guariglia
LANCE!


Apesar de ser um momento problemático em todo o mundo por conta da pandemia de coronavírus, a retomada do futebol paulista terá logo de cara um Dérbi, que para muitos é o maior clássico do país, o que traz os holofotes para essa partida. No entanto, para um personagem desse duelo, a ocasião será ainda mais especial. É o caso do ídolo Fagner, que completará 350 jogos pelo Corinthians e não esconde o desejo de celebrar essa marca com uma vitória.

Em entrevista ao LANCE!, o lateral-direito corintiano falou, entre outros assuntos, sobre esse significativo número de vezes que vestiu a camisa alvinegra, e que o coloca cada vez mais na lista dos maiores jogadores da história do clube, especialmente em um clássico contra o maior rival.

- Realmente, será uma volta atípica, por todo contexto da pandemia, mas um momento especial, uma marca importante alcançada, um clássico, que é sempre uma decisão... Independentemente de qualquer coisa, vamos entrar muito motivados, procurando superar as dificuldades pelo longo tempo parado, mas em busca dos nossos objetivos. Pra mim, especialmente, tem essa marca, mas espero poder comemorá-la ao final da partida com uma vitória.

Fagner é praticamente um especialista em Dérbis e disputará na quarta-feira o seu 17º duelo com o Palmeiras defendendo o Timão. Nesse período, ele esteve em campo em momentos em que seu time era inferior e acabou levando a melhor. Dessa vez, ele acredita que seja difícil dizer quem está em boa fase por conta do longo tempo de inatividade de ambas as equipes, mas tem certeza de que quem sair vencedor levará o feito para o restante da temporada.

- Não sei se divisor de águas, mas sem dúvidas um clássico significa muito para as duas equipes, ninguém quer perder, todo mundo briga pela última bola... Acho que isso acontece porque prova que clássico não tem favorito, não importa a fase que cada um esteja atravessando - disse, antes de completar:

- Será um momento atípico, as duas equipes passaram por mudanças, estão em um longo tempo de inatividade... Mas com certeza dará uma motivação a mais para quem sair com a vitória. Por isso estamos trabalhando muito forte, vamos dar o máximo para ter uma boa retomada, e dali pra frente a gente seguir evoluindo.

Desde 2014, quando voltou ao Corinthians, Fagner tem sido frequentemente colocado como o lateral-direito mais regular em atividade no país, e sempre atuando em alto nível. De lá para cá ele conquistou cinco títulos e disputou a Copa do Mundo de 2018, na Rússia, tudo isso sendo titular absoluto de um dos gigantes do futebol brasileiro. Apesar dessas qualificações, ele divide os méritos com os companheiros, com a família e com seu estafe.

- Sou abençoado por estar há tempo tempo como titular de um clube gigante como o Corinthians, podendo ter uma regularidade, com grandes conquistas, tanto pessoais como coletivas... É fruto de diversos fatores, do trabalho do dia a dia, da dedicação nos treinos, de trabalhar com grandes profissionais e um grupo muito bom, que sempre eleva o seu nível, de poder ter uma base familiar por trás, pra dar o suporte necessário em momentos difíceis, ter um bom estafe pra só ter que pensar no campo... Os últimos anos realmente foram muito especiais e espero poder alcançar muitos objetivos na carreira ainda.

Confira outros trechos da entrevista exclusiva de Fagner ao LANCE!:

Como avalia a preparação do Corinthians durante esse período de retomada das atividades após a paralisação provocada pela pandemia de coronavírus?
Fizemos bons treinos, trabalhamos com muita intensidade, mas também de forma bem organizada, controlada, para alcançarmos a melhor forma possível. A inatividade foi longa, então precisamos tomar todos os cuidados necessários para evitar lesões, para não forçar além do limite, pois agora teremos um ritmo intenso até o fim da temporada. A principal questão que vejo é o tempo de inatividade. Por isso, procuramos trabalhar forte nos treinos, no dia a dia, para não sentir tanto e aguentar o ritmo durante os 90 minutos nessa retomada.

Por conta dessa parada, o calendário 2020 ficará mais apertado para todos. De que forma você analisa a maratona pela qual vocês passarão a partir do Dérbi?
O calendário será muito apertado, é algo inevitável, por toda situação que estamos vivendo no mundo todo. Acho que todos agora precisam entender e fazer as adaptações necessárias pra perdermos o mínimo possível. Pelo que temos visto lá fora, que já voltou antes, as equipes estão rodando bastante os elencos, fazendo o máximo de substituições nas partidas, então isso significa que vamos precisar de todo o elenco, todo mundo tem que estar preparado para as oportunidades.

Lista dos jogadores que mais vestiram a camisa do Corinthians:

1) Wladimir - 806 jogos
2) Luizinho - 606 jogos
3) Ronaldo Giovanelli - 602 jogos
4) Zé Maria - 598 jogos
5) Biro-Biro - 590 jogos
6) Vaguinho - 551 jogos
7) Cláudio - 550 jogos
8) Olavo - 506 jogos
9) Rivellino - 474 jogos
10) Idário - 469 jogos
11) Cássio - 463 jogos
12) Rafael - 451 jogos
12) Roberto - 451 jogos
14) Ralf - 437 jogos
15) Marcelinho - 433 jogos
16) Oreco - 409 jogos
17) Wilson Mano - 405 jogos
18) Baltazar - 404 jogos
19) Gilmar - 395 jogos
20) Tião - 367 jogos
21) Servílio - 364 jogos
22) Danilo - 359 jogos
23) Fagner - 349 jogos

Fonte: Almanaque do Corinthians - Celso Unzelte








































Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também