Ao falar de Messi, Jorge Jesus perdeu grande oportunidade de ficar calado

Rodrigo Salomao
·2 minuto de leitura

Ídolo e treinador que fez história no Flamengo, nós sabemos muito bem o quanto Jorge Jesus entende de futebol. Também sabemos o quanto o português não mede palavras na hora de expressar suas opiniões. Dono de entrevistas sempre marcantes, o técnico não foge da bola dividida. Mas desta vez, ao comparar Maradona, Messi e Cristiano Ronaldo, pisou feio na pelota.

"Maradona, não só aquilo que era como gênio, como jogador, tecnicamente. Mas a forma como ele demonstrava. Para mim essa é a diferença do Maradona. É um jogador do topo do mundo, mas tinha paixão pelo jogo. Nasceu para ser jogador do futebol. Nasceu com tudo, com talento. Não é um produto trabalhado. Depois, todo sentimento que ele tinha com a bola, com o jogo. Eu penso que hoje os dois grandes jogadores do mundo, o Ronaldo e o Messi, o Ronaldo tem um pouquinho disso. Messi não tem nada. Não tem nada que eu digo de paixão", analisou o Mister.

Jorge Jesus parece confundir impressões sobre o que pensa a respeito de Messi e Ronaldo. Embora tenha deixado claro que os considera os melhores do mundo (e de fato são, há muito tempo), o comandante do Benfica classificou mal o sentimento de ambos pelo jogo. Messi nasceu para jogar futebol e nunca escondeu de ninguém seu fascínio pelo ofício. Já Cristiano é uma máquina incessante que - mesmo aos 35 anos - se vê ainda longe da aposentadoria. Como podem ser classificados de "produto trabalhado" e "sem paixão" se atuam em alto nível por inacreditáveis 13 anos (ou até mais)?! Se um jogador, como Leo ou Cristiano, não é apaixonado por entrar em campo, qual a motivação para querer ganhar e performar melhor a cada partida depois de já ter conquistado tudo que se conquistou? Não seria a paixão?

Real Madrid v Barcelona - La Liga | Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images
Real Madrid v Barcelona - La Liga | Gonzalo Arroyo Moreno/Getty Images

Com todo respeito, os fatos concretos discordam - e muito - da declaração de Jesus. Maradona sempre foi intenso e apaixonado. Tão apaixonado quanto apaixonante para quem o idolatra. Falamos disso há poucos dias, inclusive. No entanto, o perfil mais discreto de Messi como pessoa não está relacionado com o amor pelo futebol. Pelo contrário, até. É dentro das quatro linhas, buscando sempre o gol, que o camisa 10 do Barcelona prova jogo após jogo que à sua maneira também é um apaixonado. Uma pena que nem todos percebam isso.