Jogadores do Macaé sentam no gramado em protesto; time perde para o Madureira e está rebaixado

LANCE!
·1 minuto de leitura

Antes de a bola rolar no Estádio Conselheiro Galvão para Madureira x Macaé, os jogadores do time do Norte Fluminense sentaram do gramado. O protesto se deu por conta de salários atrasados e falta de condições de treinamento, de acordo com publicação da diretoria do clube no Instagram. A nota dá razão aos atletas, mas culpa a Ferj pelo ocorrido.

Confira a nota:

"A diretoria do clube respeita o posicionamento do nosso elenco que vem sendo prejudicado com a falta de treinamentos adequados!

Nosso município e os circunvizinhos, devido a pandemia, proibiram o uso de campos e similares por decretos.

Enviamos ofício para a FERJ, que respondeu que deveríamos treinar em cidades que estivessem liberadas, porém o clube não recebeu, até o momento, nenhum pagamento referente às cotas de transmissão da TV, inviabilizando o pagamento das despesas com mudança de cidade durante a competição.

Nossos atletas estão prejudicados no aspecto técnico e também financeiro sem o sagrado direito de recebimento de salários (que o clube não tem condições de arcar sem recebimento da única fonte do recursos do campeonato) e tem todo o direito de protestar, até mesmo pela patente ausência de isonomia técnico-esportiva que afeta um clube que não pode treinar por motivo de força maior.

Esperamos que esse protesto espontâneo e legítimo dos atletas produza a sensibilização do órgãos competentes da administração do futebol carioca e também dos clubes co-irmãos de modo a serem imediatamente adotadas as providências para minimizar nossas dificuldades!"

Com a bola rolando, o Madureira venceu o Macaé por 4 a 2. O Tricolor Suburbano segue sonhando com uma vaga na semifinal da Taça Guanabara. O time visitante, que somou apenas um ponto em toda a competição, está rebaixado.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola