António Oliveira diz que clima no Athletico é de 'revolta' com jejum no Brasileirão

·1 minuto de leitura


É fato que o Athletico tem motivos para vibrar com o fato de ter condições reais de brigar por, pelo menos, três de quatro títulos que disputa na reta final da temporada 2021: Paranaense, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana.

>Aplicativo de resultados do LANCE! está disponível na versão iOS

Porém, no torneio em que a equipe está "patinando" como é o caso do Campeonato Brasileiro, a sequência de seis rodadas sem ganhar mais do que incomoda a equipe dirigida pelo técnico português António Oliveira. Ao ponto do próprio comandante lusitano chegar a falar em sentimento de "revolta" pelo jejum:

- É uma pressão boa. Somos a única equipe em quatro competições. Temos essa intensidade de jogos por nossos méritos. Temos que gerir o elenco e as competições… É um momento do qual não gostamos. Estamos revoltados com esse momento. Percebo nos jogadores a ansiedade para reverter essa situação. E vamos reverter. Confio muito neles.

Falando especificamente sobre o empate sem gols com o Sport, António entende que o posicionamento mais retraído do adversário combinado a falta de efetividade do Furacão, mesmo com o volume de oportunidades criadas, dificultou bastante a quebra da sequência negativa:

- As chances de gol foram suficientes para ganharmos o jogo, mas hoje não foi o nosso dia. Se aos dois minutos o Pedro Rocha faz aquele gol, conseguiríamos desbloquear a marcação. Tivemos alguns problemas em algumas ações técnicas individuais, em alguns passes e cruzamentos, e alguma dificuldade em ocupar a área. Isso em algumas vezes facilitou quem defendia de frente. Mas não foi por falta de chances que não ganhamos o jogo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos