4 vezes em que a política brasileira e a economia mundial derrubaram o Ibovespa

O ano de 2020 ensinou uma nova expressão ao brasileiro: circuit breaker. Criado em 1997, o mecanismo de circuit breaker serve para interromper as negociações na Bolsa de Valores quando a queda do principal índice de ações do país, o Ibovespa, supera os 10%. Em 2020, foi acionado seis vezes.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Seu acionamento está associado a períodos de grave crise econômica, mas algumas das grandes quedas foram também influenciadas por acontecimentos políticos. Relembre.

Leia também

1999

Após a decisão de desvalorizar o real no começo do ano, o dólar disparou e o Banco Central passou a adotar o regime de câmbio flutuante. A Bolsa brasileira sentiu o golpe já em janeiro, fechando em queda de 5,05% no dia 13 e de 9,97% no dia 14, após despencar, respectivamente, 10,78% e 10,09%.

2008

A crise financeira causada pelo sistema imobiliários dos EUA chegou ao Brasil em um momento de crescimento econômico e geração de empregos. Isso não impediu que entre setembro e outubro a Bolsa de Valores sofresse quedas de até 15,50% em um único dia antes de precisar interromper as negociações. O então presidente Luiz Inácio Lula da Silva apostou em uma política de injeção de dinheiro do governo na economia para aumentar o consumo no país.

2017

Conhecido no meio como o “Joesley Day”, o dia 18 de maio de 2017 foi marcado pelo vazamento da informação de que o empresário Joesley Batista havia gravado uma de suas conversas com o então presidente Michel Temer - acreditava-se que o áudio estaria cheio de confissões de atos de corrupção. A Bolsa fechou em queda de 8,80% depois de despencar 10,70%.

2020

Os seis acionamentos do circuit breaker em 2020 estão relacionados à crise econômica causada pelo coronavírus e ao surto de quarentenas declaradas pelo mundo. Foram um em 9 de março, outro no dia 11, mais dois no dia 12, outra no 16 e a última no dia 18. Mesmo com o recurso, em quatro desses cinco dias a Bolsa fechou em queda de dois dígitos (respectivamente: 12,17%, 7,64%, 11,76%, 13,92% e 10,35%).

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também