Animado com recuperação, 'Marreta' projeta treino sem restrições em março de 2020

Thiago ‘Marreta’ acredita que já possa treinar normalmente em março de 2020 – Carlos Antunes

Após duas cirurgias nos dois joelhos, Thiago ‘Marreta’ segue a todo vapor na sua recuperação para voltar a lutar. Com o andamento positivo do tratamento, o lutador já vislumbra uma volta aos treinamentos mais fortes para o início de 2020, já em preparação para uma luta. Apesar do receio em ainda fazer certos movimentos, o peso-meio-pesado (93 kg) do UFC demonstrou estar bem animado com o andamento do seu processo para voltar a atuar.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Durante o lançamento da série ‘Nascidos para o Combate’, na última terça-feira (8), no Rio de Janeiro, em que é um dos protagonistas, o brasileiro – em conversa com a imprensa com a presença da reportagem da Ag. Fight – adiantou que não pretende acelerar em nada seu retorno. Ciente de que passou por uma cirurgia bastante delicada em locais em que seu jogo é bastante exigido, ‘Marreta’ quer voltar a lutar apenas quando estiver totalmente recuperado.

“(A recuperação) Está sendo um pouco mais rápido do que eles (médicos) esperavam. Tem pouco mais de dois meses de cirurgia e já estou fazendo bastante coisa, então está bem adiantado. Agora é continuar trabalhando, foco é só na minha recuperação, nem penso em luta agora. Focar na recuperação e quando eu estiver 100%, comunicar o UFC que estou pronto para voltar.Em março eu já devo estar podendo treinar tudo. Poderia iniciar um camp em março”, disse o lutador de 35 anos, complementando que ainda tem receio de ter uma nova lesão no local operado.

“Acho que quando eu estiver 100% eu vou perder esse medo (de se lesionar novamente). Lógico que agora, mesmo fazendo exercícios comuns de parte física eu ainda tenho medo de fazer certos movimentos. É uma coisa que vai voltando aos poucos, mas acredito que quando eu estiver normal esse medo vai acabar. Acho que a confiança vem voltando junto com a recuperação”.

‘Marreta’ fazendo fisioterapia para voltar a atuar o mais rápido pelo UFC – Carlos Antunes

No entanto, ‘Marreta’ sabe que precisa achar um meio termo entre a empolgação e a cautela na recuperação de uma cirurgia tão delicada quanto a que passou. Durante sua fisioterapia, o lutador admitiu que às vezes se excede por ficar incomodado por não conseguir fazer certos movimentos e acaba se testando para ver até onde aguenta.

“Hoje mesmo eu estava treinando e, conforme vai evoluindo, o meu treinador vai colocando movimentos novos. Antes eu só podia fazer movimentos para trás e para frente, agora já estou fazendo (movimentos) laterais, e daqui a duas ou três semanas vamos começar a fazer giratórios, girando o joelho, que é quando eu vou começar a chutar. Então a cada movimento, quando é novo, é normal o joelho dar uma inchada, você sente um incomodo, uma dorzinha. Aí às vezes eu tenho que esperar mais um pouco. Tem todo esse controle e esse cuidado para não piorar a lesão. Fico chateado com a parte física, porque não consigo fazer (o movimento), e vem para a parte mental, e aí meu preparador fala para eu parar porque eu fico chateado e aí que eu faço mesmo. Hoje a gente estava fazendo um movimento de salto e comecei a sentir um pouco, ele falou: ‘Vamos parar’. Eu falei: ‘Não’. E comecei a saltar mais alto ainda. Então eu tenho meio que essas loucuras. É complicado, tem que achar o meio termo”, contou.

Estar neste atual momento de não poder lutar é algo ‘torturante’ para o peso-meio-pesado. Para evitar ficar triste, o lutador admitiu que está distante de assistir qualquer evento do UFC pela TV e também não procurar saber nada relacionado com o andamento das lutas de sua categoria. Uma de suas justificativas é que esse tempo afastado pode lhe dar ainda mais gana para quando puder atuar novamente.

“Eu não tenho acompanhado luta, para ser sincero. É uma coisa que eu gosto de fazer e é muito difícil para mim, ficar parado, ficar assistindo. Então, eu só foco na minha recuperação e faço outras coisas para me distrair. Não tenho acompanhado o UFC, tenho me distanciado um pouco, não estou preocupado com o que vai acontecer com a categoria, se o Jon Jones vai ser campeão, com quem ele vai lutar. Não me interessa. Eu quero ficar bom, o mais rápido possível, e falar para o UFC que eu estou bom. E quem o UFC me der eu vou estar faminto para lutar”, falou.

‘Marreta’ foi a estrela do lançamento de um documentário no Rio de Janeiro – Carlos Antunes

Recentemente, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o brasileiro já havia afirmado sua inspiração em Ronaldo ‘Fenômeno’, sobre o fato do ex-jogador de futebol também ter passado por uma grave lesão nos joelhos e ter dado a volta por cima, sendo campeão do mundo com a seleção brasileira. O peso-meio-pesado voltou a destacar a importância do compatriota como um espelho para voltar a lutar em alto nível no UFC.

“Eu acompanhei o que aconteceu com o Ronaldo ‘Fenômeno’ na época e ele é o maior exemplo de superação de uma lesão super grave, de ter dado a volta por cima. Lembro claramente a cena com ele caindo no campo e a patela dele vindo parar do lado do joelho. Eu era bem novo, mas eu lembro disso. E depois, vê-lo ganhar uma Copa, é uma inspiração para mim”, revelou.

Em 2013, quando estreou no Ultimate, ‘Marreta’ fez suas apresentações no peso-médio (84 kg). No entanto, em 2018 decidiu subir para os meio-pesados (93 kg), pelo grande desgaste na perda de peso. Mas uma volta a categoria que deu os primeiros passos na organização não está descartada pelo brasileiro, porém só em alguma ocasião especial.

“Sim, há essa possibilidade (de voltar para o peso-médio) desde que seja uma luta que faça sentido. Não volto mais para recomeçar. Me sinto bem hoje de 93 kg, me sinto saudável. Eu desceria para lutar de 84 kg se fosse uma superluta”, afirmou o lutador, que na categoria, conseguiu 10 triunfos.

Ainda com o peso-médio como assunto, o brasileiro afirmou que não acompanhou o duelo entre Robert Whittaker e Israel Adesanya, pela unificação dos cinturões da categoria, que aconteceu no último sábado (5). Segundo ele, a vitória do nigeriano o surpreendeu, já que esperava que o australiano conseguisse o triunfo.

“Só fiquei sabendo do resultado (luta Adesanya vs Whittaker). Eu achava que o Whittaker ia ganhar. Ele é um lutador muito duro, mas não sei se o tempo parado atrapalhou ele. Com a experiência, a gente tem que achar um meio termo. Tem lutador que usa muito a técnica, coloca a bíblia debaixo do braço, é ruim. Tem lutador que tem muito coração e se expõe demais, foi o caso do Whittaker, e é ruim. O lutador tem que achar um meio termo. Tem que montar uma estratégia e na hora que tiver que ter coração, você tem que ter coração”, analisou.

Última apresentação de ‘Marreta’ foi contra Jon Jones, em julho deste ano – Rigel Salazar

Agora Adesanya pode ter pela frente um compatriota de ‘Marreta’. O favorito para disputar o cinturão contra o nigeriano é Paulo ‘Borrachinha’, que ainda está invicto na carreira e acumula cinco triunfos no UFC. Questionado se o brasileiro pode destronar o detentor do título, o peso-meio-pesado acredita que o africano seja o favorito.

“Condições sempre tem (do ‘Borrachinha vencer), mas se eu tivesse que apontar o favorito, apontaria o Adesanya. Mas eu posso errar, como errei na última. Eu apontava o Whittaker como favorito”, admitiu.

Seguindo a linha de “apostador” dos próximos combates, ‘Marreta’ não ficou em cima do muro quando o assunto foi o duelo entre Jan Blachowicz e Ronaldo ‘Jacaré’, que será a luta principal do UFC São Paulo, no dia 16 de novembro. Para o brasileiro, seu ex-adversário leva vantagem no duelo e revelou até um vínculo de amizade com o polonês.

“Se eu tivesse que apostar em um favorito, apostaria no Blachowicz. Estou falando de aposta, não de torcida. Apesar de eu gostar muito do Blachowicz, a gente acabou criando uma amizade. (…) Eu sou mais amigo do Blachowicz do que do Jacaré. Tive pouco contato com o Jacaré, o Blachowicz a gente chegou a treinar junto, criou uma amizade. Então, eu acho que 60 a 40 para o Blachowicz”, completou.

Leia também