Angulo some dos jogos do Santos e fica mais longe da Copa, pelo Equador

Foto: Ivan Storti / Santos


O atacante equatoriano Bryan Angulo chegou ao Santos em abril deste ano com um objetivo: disputar uma Liga mais forte e, em consequência, realizar o sonho de jogar uma Copa do Mundo pela Seleção do Equador. Antes de ser contratado pelo Peixe, o atacante marcou presença em algumas convocações e fez cinco jogos, sem marcar gols.

O grande problema é que o jogador acabou perdendo espaço no Peixe. Nos últimos quatro meses, tempo final para os técnicos das Seleção decidirem os convocados, Angulo somou apenas 87 minutos em campo pelo Santos, fez apenas um jogo como titular e não foi relacionado em sete jogos por opção dos treinadores.

Com a camisa do Alvinegro Praiano, realizou 24 jogos, marcou cinco gols e deu uma assistência. Foi titular em nove oportunidades, sendo a grande maioria na Copa Sul-Americana, quando o ex-técnico Fabián Bustos utilizou uma equipe mista.

- Fabián Bustos foi importante para me motivar, para poder vir ao futebol brasileiro e ajudar muito o Santos. Quero campeonatos e a possibilidade de ir para a Copa do Mundo - disse Bryan Angulo, em sua apresentação ao Alvinegro Praiano.

Mesmo com gols marcados no torneio internacional, o jogador passou a receber muitas críticas por parte dos torcedores, principalmente após um gol perdido no duelo contra o Ceará, na Arena Barueri, ainda com Bustos no comando.

Com Lisca no comando, o jogador recebeu poucas oportunidades. Em uma delas, marcou o gol da vitória santista contra o Coritiba, fora de casa. Porém, duas rodadas depois, foi titular contra o Cuiabá, mas não conseguiu repetir a boa atuação, foi substituído e, depois disso, não foi mais titular.

Nascido em Guayaquil, no Equador, o camisa 15 tem 26 anos e foi revelado no Rocafuerte FC, time de sua cidade natal. Destaque nas categorias de base, o atacante foi contratado pelo Emelec e iniciou sua carreira profissional em 2014.

Em 2019, ainda na gestão do ex-presidente José Carlos Peres, o jogador foi procurado pelo Peixe. Na época, o atleta foi um pedido do técnico argentino Jorge Sampaoli, mas as negociações não evoluíram.