Andrés detona Libertadores, faz planos para R9, fala de reforços e de Tite, prevê SP rebaixado...

<em>Andrés tentará voltar à presidência do Corinthians em fevereiro (Fernando Dantas/Gazeta Press)</em>
Andrés tentará voltar à presidência do Corinthians em fevereiro (Fernando Dantas/Gazeta Press)

Por que retornar à presidência do Corinthians? Como usar Ronaldo? Planos para o futebol em 2018? Acerto com Renê Júnior? Pagamento da arena? Candidato à presidência do Corinthians, Andrés Sanchez respondeu a todas essas perguntas feitas pelo Blog na noite desta segunda-feira, durante programa na TV+. O favorito à vitória na votação de fevereiro também fez previsões pessimistas em relação ao futuro do São Paulo, detonou o inchaço da Libertadores, assegurou que o Timão vai priorizar Copa do Brasil e Brasileirão, além de reconhecer que Tite talvez não fosse para a seleção brasileira se tivesse sido demitido pelo próprio Andrés em 2011, após a eliminação para o Tolima, na Libertadores.

BLOG: O que mais te surpreendeu na última rodada do Brasileirão?
ANDRÉS SANCHEZ: Para mim, a grande surpresa foi o São Paulo. Não era para um time como o São Paulo chegar nessa condição. E pode apostar: vem coisa pior nos próximos três anos. Acho muito provável que o São Paulo seja rebaixado (para a Série B) nesses três anos.

Se você já fosse dirigente, o que tentaria mudar?
Esse regulamento do Brasileirão em que nove clubes se classificam para a Libertadores. Isso é um absurdo. Estão querendo transformar a Libertadores em um campeonato Brasil x Argentina. Se eu virar presidente, vou batalhar por uma diminuição no número de classificados. Tem que ser no máximo cinco.

Mas esse inchaço não é uma decisão da TV, que banca a Libertadores?
Não sei de quem é a culpa, mas assim não dá. E vou te falar mais: se eu for presidente, a Libertadores não vai ser obsessão. A prioridade vai ser ganhar Copa do Brasil e Brasileiro.

Em 2007, surgiu o rumor de que os jogadores do Internacional, do Abel Braga, participaram de um churrasco com os atletas do Goiás depois do empate que rebaixou o Corinthians. Por isso, a pergunta: você contrataria o Abel como técnico?
Não gosto de mudança de técnico. Inclusive, um dos erros do Corinthians na temporada passada foi trocar o treinador. Mudança não leva a nada.

Vários dirigentes teriam mandado o Tite embora depois do Tolima, e você não o mandou. É possível que a trajetória dele seria diferente…
Seria treinador do São Caetano, com todo o respeito (risos). Eu não mandei o Tite embora naquela época porque perdeu pro Tolima… ele não tinha culpa. A culpa era minha como presidente e dos atletas. Eu tinha que dar um tempo para ele trabalhar. Até porque foi cometida uma injustiça com ele em 2005 no Corinthians e eu era um dos vice-presidentes (Tite foi demitido por determinação de Kia Joorabchian, então homem forte da MSI). Não foi por causa de pagar multa, nem nada disso. Por isso que eu mantive.

Então você tem certeza de que ele possivelmente não estaria na seleção.
Certeza não tenho, mas logicamente que a vida dele como treinador seria mais difícil. Ele não era tão ruim antes de chegar no Corinthians e não é tão bom como dizem hoje. O Tite é excelente treinador, mas é muito melhor como ser humano do que como treinador.

E o que você pensa sobre o Carille?
A mesma coisa: agora, por causa dos títulos, tem gente falando que ele merece seleção. O Carille é muito bom técnico, mas ainda tem bastante coisa para amadurecer. Mas tudo no Brasil. Se ganha, é o melhor, se perde, não presta.

Quais seus planos caso se torne presidente do Corinthians?
Sei que o Corinthians terá de ganhar todos os campeonatos, se não, vão falar: esse cara voltou para fazer merda. Mas a estrutura que o Corinthians tem hoje, com o CT, laboratório, e equipe técnica, me dá mais tranquilidade e segurança para trabalhar. O Corinthians teve só duas lesões musculares o ano todo.

É verdade que você pensa em demitir o Alessandro do cargo de gerente de futebol?
Vou mudar por quê? Eu que pus ele lá, assim como havia feito com o Edu Gaspar. E acho que o Danilo tem que ficar também quando parar. Ele é referência, uma pessoa do bem, com experiência, que ajuda os garotos…

Quais seus planos para o Ronaldo Fenômeno?
É preciso esclarecer que o Ronaldo nunca se afastou do Corinthians. A questão é do presidente usá-lo mais ou menos. Só não dá para ter o Ronaldo à frente do futebol, por causa da agenda dele. Mas garanto que ele vai estar muito mais próximo no caso da minha eleição. Ele abre portas em todo lugar.

Qual seu maior acerto nos quatro anos como presidente?
Acabar com a reeleição. Se não, eu estaria lá até hoje e isso não é saudável. Até porque o presidente não ganha nada na função. Ele tem de se dedicar os três anos do mandato e dar a vez para outro.

Você prometeu que nunca mais seria presidente. Por que está tentando a reeleição?
Tenho responsabilidades com meu grupo político. Existiu uma pressão muito grande pela minha volta e percebi que, se eu não me lançasse, esse grupo teria uns quatro candidatos, virando um queijo suíço. Mesmo com minha candidatura, já teve uma dissidência (Felipe Ezabella concorrerá por uma ala formada por vários ex-membros da “Renovação e Transparência”).

O pagamento da Arena Corinthians é hoje o grande problema do Corinthians?
Um dos motivos da minha tentativa de virar presidente também é para fechar alguns ciclos, como o da arena. E o clube não põe dinheiro na arena.

Não? Mas se não há dinheiro suficiente para pagar a prestação…
Os R$ 150 milhões por ano com bilheteria não vão para o clube, mas isso já era sabido. Esse dinheiro é usado para pagar o financiamento. E o torcedor tem que lembrar que a arrecadação nos tempos de Pacaembu era muito menor.

Como solucionar o pagamento da arena, então?
Tem que sentar com todo mundo e negociar. A única coisa é que sou contra aumentar o prazo de 12 anos para pagar. Acho que é possível quitar tudo nos dez anos que ainda nos restam.

Qual o preço do estádio hoje?
Nosso estádio custou R$ 980 milhões. Hoje, com os juros, a dívida é de R$ 1,1 bilhão.

E como se paga essa conta?
Temos R$ 480 milhões de CIDs (Certificados de Incentivo ao Desenvolvimento) para vender. Se não der para vender, vou entregar o estádio para a Prefeitura. Esses papéis nos foram dados de forma limpa, sem fazer nada às escondidas, graças a uma lei bem antiga. O que não dá é para quererem 40% de ágio. Aí não dá.

Ainda tem esperança de os naming rights do estádio serem vendidos?
Tenho 54 anos de idade e, como não fumo, nem bebo, acho que vivo mais uns 25 anos. Nesse período, deve sair algum acordo.

Você tem participado da montagem do elenco para 2018?
Não. Se me consultarem, vou opinar. Mas, até agora, ninguém me procurou.

O Renê Júnior deverá ser anunciado em breve. E ele era um antigo sonho seu, né?
Tentei contratá-lo umas duas vezes, mas não deu certo. É um bom jogador e parece que está acertando, realmente.

O Zé Rafael também está fechado?
Não sei. O que eu sei é que o Mendoza estava lá no Bahia com o Zé Rafael e fez um ótimo campeonato. O Mendoza é bom e vai render um dinheiro bacana para o clube.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos