André Rizek fala sobre dificuldade dos clubes do Brasil no Mundial: 'Quem joga aqui é a série C do futebol brasileiro'

LANCE!
·2 minuto de leitura


O apresentador do 'Seleção SporTV' André Rizek, opinou, na edição desta quinta-feira, sobre a qualidade do futebol praticado no Brasil, após o Palmeiras ser derrotado na disputa do terceiro lugar no Mundial de Clubes. É a primeira vez que um clube sul-americano termina o torneio nessa colocação. Para Rizek, os europeus levaram jogadores de níveis A e B para fora do Brasil, o que causou desequilíbrio no torneio mundial.

+ Simule os resultados na reta final do Campeonato Brasileiro!

O Bayern conquistou o tetracampeonato e aumentou o jejum dos sul-americanos no Mundial. O último a levantar a taça foi o Corinthians em 2012.

- Nossa realidade infelizmente não dá pra competir com a realidade europeia. Nos anos 1990 dava. Na medida que os europeus foram montando seleções mundiais, a gente não perdeu só o que a gente perdia nos anos 80, que é o melhor jogador do Flamengo - Zico, o melhor do Internacional - Falcão, o melhor do Corinthians, o melhor do Atlético-MG... Começou a ir todo mundo. A série A e a série B do futebol brasileiro estão na Europa. Quem joga aqui é a série C do futebol brasileiro. É duro falar isso, mas é a verdade - disparou.

- Nos anos 1990, o São Paulo ganhou do Barcelona, do Milan, ai depois o Grêmio perdeu nos pênaltis do Ajax, depois o Real Madrid fez um jogo duro contra o Vasco e o Palmeiras um jogo duro contra o Manchester. Depois, meu amigo, até quando a gente ganha é com muito sofrimento e nosso goleiro melhor em campo, que foi o caso do Rogério (Ceni, pelo São Paulo) e o Cássio (Corinthians). - concluiu.

Rizek perguntou para Petkovic, presente no estúdio, se estava exagerando. O sérvio argumentou.

- Eu acho que (está) um pouco exagerando - disse, antes de concluir.

- Tem jogadores (que atuam no Brasil) que não tem oportunidade pelas circunstâncias, por escolhas, critérios, mas tem outros jogadores que se formasse uma Seleção Brasileira de jogadores que atuam no Brasil, daria jogo, muito jogo, contra uma Seleção Brasileira com jogadores de fora - opinou.