Anderson Silva revela ainda sentir dor por fratura na perna

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Na luta contra Chris Weidman, em 2013, Anderson Silva quebrou a perna ao desferir um chute.
Na luta contra Chris Weidman, em 2013, Anderson Silva quebrou a perna ao desferir um chute. Foto: (Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images)

O trauma ocorrido há mais de oito anos ainda afeta a vida do ex-lutador Anderson Silva. A fratura de sua perna esquerda, no segundo confronto contra o lutador americano Chris Weidman, ao tentar dar um chute no seu rival, lhe rende dores até os dias de hoje.

Em entrevista ao podcast Mais que 8 Minutos, o grande nome do Brasil na geração passada revelou que sente dores ao tentar realizar exercícios físicos: "Eu estava em uma casa na frente da praia. Olhava a galera correndo e falava que ia correr quando a perna ficasse boa. Nunca mais corri. Eu até tento, mas não consigo. Não corro mais. De vez em quando, eu tento correr e começa a doer a perna. É uma dor insuportável. Tem as duas hastes e parafuso no joelho e no tornozelo. O medo agora é de repente ter que tirar a haste. O médico falou que poderia tirar, mas eu falei para deixar".

Leia também:

Narrando o momento da fratura, lance chocante para todos que acompanharam o confronto ao vivo e, também, nos vídeos difundidos nas redes sociais, Anderson Silva relembra o choque que teve ao perceber a gravidade da fratura: "A perna foi um choque, mais do que a dor. Quando eu chutei e senti que quebrou, eu não botei o pé no chão. Caí e segurei a perna. Falei: 'Não acredito que está acontecendo isso comigo'. Quando você quebra a perna, bota aquelas antenas externas. Eu ficava falando que não queria colocar aqueles negócios na perna. Os caras me dando remédio para me acalmar, porque eu achava que ia ficar aquelas paradas para fora. Operei, acordei no outro dia e falei: 'passou'. Passou nada. Aí começou a vir a dor. A minha perna ficava para cima, não bombeava sangue. Quando botava para baixo, descia a pressão do sangue todo. Foi um ano de perrengue".

Investindo em alguns eventos de boxe, para continuar seu legado no mundo das lutas, Anderson Silva, recentemente, enfrentou o, também histórico, lutador Tito Ortiz e venceu o embate.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos