Análise técnica: o que as fotos mostram sobre o acidente de Grosjean no Bahrein

Jonathan Noble
·4 minuto de leitura

A saída de Romain Grosjean do fortíssimo acidente sofrido no GP do Bahrein é uma das exibições mais públicas que a Fórmula 1 já teve do avanço na segurança do carro. O francês conseguiu sair quase ileso de uma desintegrada Haas, que se quebrou no meio, passou pelo guard-rail e ainda pegou fogo, algo que foi visto por muitos como um milagre.

Mas enquanto há mesmo alguma sorte envolvida no acidente, especialmente com o fato de Grosjean ter conseguido manter a consciência para sair do carro, a ciência e os protocolos de segurança da F1 tiveram um grande papel em sua sobrevivência.

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20<span class="copyright">Mark Sutton / Motorsport Images</span>
The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20Mark Sutton / Motorsport Images

Mark Sutton / Motorsport Images

Apesar de pouco reconhecível, a célula de sobrevivência permaneceu praticamente intacta apesar do impacto. Mas notem, na seta vermelha acima, como o chassi parece se abrir a frente do halo.

Halo e Santantônio

Com o chassi atravessando a barreira, parece que o halo foi se descascando, ajudando a proteger a cabeça de Grosjean, que não atingiu o metal.

Já o dano ao santantônio indica que esse pode ter sido o ponto de parada contra a barreira. Na imagem acima, é possível ver que ele segue no lado da pista, sem entrar em direção à barreira. Isso é possivelmente o que causou a forma de V na barreira à esquerda.

Assim que o carro foi removido, o dano ao santantônio ficou mais visível e mostra claramente as forças tremendas que a parte do carro recebeu. A parte da frente sofreu um furo, mas sua estrutura se manteve intacta.

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20<span class="copyright">Andy Hone / Motorsport Images</span>
The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20Andy Hone / Motorsport Images

Andy Hone / Motorsport Images

Assim que foi retirado da barreira, o estado da célula de sobrevivência também ficou mais claro, com o dano indicado pela setas vermelhas na imagem abaixo. A abertura na frente ficou exposta pelo fato do painel não estar mais na seção superior do chassi.

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20

The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20<span class="copyright">Andy Hone / Motorsport Images</span>
The remains of the car of Romain Grosjean, Haas VF-20Andy Hone / Motorsport Images

Andy Hone / Motorsport Images

Considerando a exposição que o halo teve à barreira, ele permaneceu relativamente intacto, mas o dano mostra o nível da força que ele precisou aguentar. A carenagem do halo foi destruída, mas por ser apenas um painel laminado, isso já era esperado.

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap<span class="copyright">Zak Mauger / Motorsport Images</span>
Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lapZak Mauger / Motorsport Images

Zak Mauger / Motorsport Images

A situação do motor

Um dos aspectos mais dramáticos do acidente foi o modo como o carro automaticamente se partiu ao meio, com a célula de sobrevivência atravessando a barreira e a parte de trás, onde fica o motor, permanecendo no lado da pista.

Ferrari F60 chassis, fuel tank and KERS battery (bottom)

Ferrari F60 chassis, fuel tank and KERS battery (bottom)<span class="copyright">Giorgio Piola</span>
Ferrari F60 chassis, fuel tank and KERS battery (bottom)Giorgio Piola

Giorgio Piola

Há seis parafusos que prendem a unidade de potência e, efetivamente, toda a extremidade traseira do carro à célula de sobrevivência. As indicações são de que esses parafusos se soltaram devido às tremendas forças em jogo, e o robusto segmento do motor acabou parando mais adiante na pista.

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap

Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lap<span class="copyright">Zak Mauger / Motorsport Images</span>
Marshals remove the wreckage after a huge crash for Romain Grosjean, Haas VF-20, on the opening lapZak Mauger / Motorsport Images

Zak Mauger / Motorsport Images

O incêndio provavelmente foi causado pela ruptura do próprio tanque de combustível ou pela ruptura das linhas de combustível com o impacto. As imagens parecem mostrar que os conectores foram puxados diretamente para fora do tanque.

E mesmo que todo o combustível do carro não tenha explodido com o incêndio, parece (acima) que o tanque está vazio e esmagado nesta imagem, quando os fiscais estão colocando o carro no guincho. Um painel também está faltando.

Pietro Fittipaldi é confirmado pela Haas e vai correr no lugar de Grosjean no GP do Sakhir

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: Domínio da Mercedes tira mérito de Hamilton em suas conquistas?

Your browser does not support the audio element.