Análise: Soteldo retorna e dá mais qualidade ao lado esquerdo do Santos

Fábio Lázaro
LANCE!
O Galo ofereceu mais de R$ 50 milhões pelo jogador, mas ele preferiu ficar no Peixe-(Ivan Storti: Santos FC)
O Galo ofereceu mais de R$ 50 milhões pelo jogador, mas ele preferiu ficar no Peixe-(Ivan Storti: Santos FC)


As principais chances do Santos na vitória por 2 a 0 contra o Botafogo-SP, nesta segunda-feira pela quinta rodada do Campeonato Paulista, na Vila Belmiro, foram criadas pelo lado esquerdo de campo. E essa qualidade ofensiva no setor canhoto passa diretamente pelo retorno de Yeferson Soteldo. O venezuelano, que ficou de fora das quatro primeiras partidas do Peixe no ano por estar defendendo a seleção venezuelana pré-olímpica, deu um novo ânimo ao ataque santista.

No início da partida, o camisa 10 atuou praticamente grudado a lateral do gramado e trocou bons passes com Felipe Jonatan. E foi em uma troca de passes pelo setor canhoto que o Santos abriu o placar aos 20 minutos do primeiro tempo, com Carlos Sánchez enchendo o pé após cruzamento de Eduardo Sasha.

Após o primeiro gol, Jesualdo Ferreira testou Soteldo pelo lado direito, mas o atacante não conseguiu render da mesma forma. Enquanto pela esquerda o atleta tinha a companhia de Felipe Jonatan, que é um lateral de característica mais ofensiva, pela direita o jogador esteve por muitas vezes isolados, já que o lateral-direito Pará não apoia tanto quanto Felipe.

No segundo tempo, Soteldo retornou novamente pela esquerda e logo aos 10 minutos, em uma jogada de linha de fundo, fez um cruzamento na medida para Eduardo Sasha marcar o segundo gol.

Independentemente do costume e do maior rendimento do venezuelano pelo lado canhoto, Jesualdo pretende seguir explorando-o em outras zonas do setor ofensivo.

- Acho que qualquer atacante deve conhecer bem as três zonas em que se joga. Todos os jogadores precisam saber jogar nessas posições. Têm funções técnicas diferentes, portanto, é importante que conheçam o campo – explicou o treinador após o jogo.

Se o retorno de Soteldo pela esquerda foi o ponto positivo da partida, o mesmo não pode-se dizer de Diego Pituca. Atuando na maior parte do tempo pelo lado canhoto, como um meia-esquerda, o camisa 21 esteve disperso durante quase toda partida, errando passes e perdendo bolas. No segundo tempo, inclusive, Pituca desperdiçou uma grande oportunidade de ampliar o placar, quando recebeu um grande passe pela esquerda e na entrada da pequena área acabou furando o chute.










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também