ANÁLISE: sim, dá para extrair coisas boas do Corinthians na derrota para o Bragantino

Contra o Braga, Lázaro perdeu pela primeira vez comandando o Timão (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)


Falar que o Corinthians foi muito mal na derrota para o Red Bull Bragantino, no último domingo (15), muito possivelmente é chover no molhado. Encontrar um oásis no deserto, é possivelmente uma virtude. E ela existe.

Foi o primeiro jogo do clube alvinegro na temporada, marcando a estreia de Fernando Lázaro como efetivo no cargo de treinador. Na teoria, o trabalho do profissional anima, muito porque o Corinthians não jogou no 4-3-3, esquema que era refém há, pelo menos, duas temporadas, o que já é um avanço.

+ ATUAÇÕES: Cássio brilha e evita derrota ainda pior do Corinthians na estreia no Paulista

+ Confira as movimentações do mercado da bola no vaivém do LANCE!

Mas e a prática? É ela que precisa funcionar. Para um sistema de jogo dar certo, é importante que os atletas desempenhem o seu papel, e não foi o que aconteceu. No losango do meio-campo, Giuliano era o armador e não armou. Maycon foi outra peça que se esconde. Du Queiroz até buscou jogo, mas errou basicamente tudo o que tentou. E a falta de um meio-campo compacto interferiu na ausência de participação ofensiva dos laterais, que, assim como já está acontecendo há algum tempo, ficaram presos à primeira linha.

O sistema defensivo também comprometeu. O Corinthians perder somente por 1 a 0 foi fruto de uma grande atuação do goleiro Cássio, que por pouco não garantiu o empate, já que ocorreram diversos vacilos no sistema defensivo, principalmente por Balbuena. O paraguaio se mostrou tão perdido e mal posicionado como no fim do ano passado. E em um desses vacilos, Artur apareceu livre para escorar para a rede o gol que garantiu os três primeiros pontos do Massa Bruta no Paulistão.

+ Confira a tabela do Paulistão e simule os próximos jogos

E com tudo isso, ainda dá para tirar algo positivo. Sim, porque todos esses jogadores já mostraram, em algum momento, o bom nível técnico que possuem. Tendo uma ideia de jogo aparentemente boa e um treinador promissor e que tem a simpatia do grupo, o projeto de Fernando Lázaro pode render bons frutos aos corintianos.

Foi somente o primeiro jogo do técnico e da temporada, contra um adversário de ótimo nível, da elite do futebol nacional, e estreando um treinador com bagagem e filosofia internacional. Era aquela partida de pontapé inicial, onde a parte física ainda está se encaixando, com o Corinthians pegando no tranco, mas isso não pode demorar muito tempo, pois mesmo com conhecimento e um projeto técnico consistente, a falta de experiência de Fernando Lázaro pode pesar contra ele.