Análise: Seleção Brasileira precisa de um capitão fixo?

Desde que assumiu a Seleção Brasileira, Tite criou como padrão revezar a faixa de capitão. Entre o primeiro jogo contra o Equador, em 2016, e o último duelo contra a Colômbia, em Barranquilla, este ano, o comandante utilizou 11 capitaões diferentes, das mais variadas personalidades e estilos.

Utilizaram a faixa Miranda e Daniel Alves (duas vezes cada um), Thiago Silva, Marcelo, Filipe Luis, Fernandinho, Renato Augusto, Coutinho, Neymar, Paulinho e Robinho, no Jogo da Amizade, em janeiro, onde só atletas que atuvam no futebol nacional participaram. 

Apesar de ser uma forma de valorizar o jogador e mostrar a importância que cada um tem para a equipe, a Seleção precisa de um representante de Tite dentro de campo e até a Copa do Mundo talvez seja necessário definir quem ficará com essa responsabilidade.

Analisando os jogos da Seleção é possível observar que Miranda e Renato Augusto são os atletas que o treinador mais chama para uma conversa na beira do gramado ou para passar alguma instrução. 

Marcelo Renato Augusto Miranda Brazil Ecuador Eliminatorias 2018 31082017

(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Com perfis parecidos, tanto Mirada quanto Renato são bem centrados dentro de campo e se tornaram homens de confiança de Tite, o último, inclusive, trabalhou com o treinador no Corinthians, onde conquistaram o título brasileiro.

Para Tim Vickery, correspondente da BBC no Brasil, chegou a hora do treinador escolher uma liderança fixa e entregar a faixa de capitão.

"O Tite tem que abordar agora o capitão fixo, uma liderança fixa. Quando está dando sinais de uma perda de controle emocional precisa de alguém para chamar a atenção. A coisa do rodízio de capitão tem sido saudável, primeiro que não houve nenhum candidato, segundo que tem sido uma maneira de valorizar os jogadores no elenco, mas acho que agora seria melhor apontar alguém como liderança natural, dar para ele especificamente a tarefa 'olha, a gente não quer o que aconteceu no primeiro tempo contra o Equador, acontecendo com a França na Copa do Mundo".

Joao Miranda Ecuador Brazil 2018 World Cup Qualifiers 01092016

(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Questionado sobre a necessidade de uma liderança fixa na Copa do Mundo, Tite desconversou.

"Eu não quero ser bonzinho, mas aprendi que liderança tem uma série de aspectos que a credenciam. É comportamental, capacidade tática, de comunicação, técnica. E nem todos tem essas variáveis. Eu procuro fomentar alguns atletas de colocarem isso para fora. Não é só a faixa, é uma responsabilidade".

Tirando Miranda e Renato Augusto, que já parecem lideranças naturais na equipe, Tite tem outros jogadores com perfil como Thiago Silva, o problema é que o zagueiro atualmente está na condição de reserva. Neymar também poderia ser uma alternativa, o camisa 10 já foi capitão com Dunga, porém o comportamento do atleta não o favorece como de fato um líder emocional, já que liderança técnica tem de sobra.