Análise: Por que só Cristiano Ronaldo pode jogar de CR7

Português não participa de muitas funções em campo, mas ainda se impõe e faz gols

Os gestos de Zinedine Zidane são claros: a todo o tempo, com mais palmas, o time do Real Madrid é desesperadamente pressionado a recuperar a bola com grande velocidade. Nessa sequência, o treinador francês demonstra a seus jogadores que eles fizeram a coisa certa, como ele quer.

Cristiano Ronaldo quase nunca é o alvo disso. O português não participa de várias funções da equipe. Nos momentos em que é dada a ordem para pressionar na marcação, Kroos e Modric ficam próximos de James e Isco na caça a bola: velocidade máxima. Morata fica entre as opções centrais. Mas CR7, em geral, está longe desta busca insana por recuperar a bola.

Quando a equipe não tem a bola, o 7 do Real finge que não está em campo. Ele prefere caminhar e se recuperar fisicamente. E ninguém pode reclamar.

Ninguém pode dizer nada e ele sabe muito bem disso: Afinal, somente Cristiano Ronaldo pode ser CR7. O luso é muito imponente e coloca essa condição para seus companheiros. Até Morata, quando esteve na frente do gol, resolveu passar para o estrelado companheiro de ataque. O próprio Bola de Ouro reclamou que o passe foi decisão errada, que ele deveria chutar no gol.

E quando Cristiano Ronaldo entrou na área, em um raro momento de distração do Real Bétis, ele guardou, com uma bela cabeçada.

Em algum momento, Zidane vai se preocupar em ter uma equipe com a mesma ideia, uma concepção geral. Por agora, no entanto, quem comanda é CR7. Joga como quiser. Aos 32 anos, ainda tem esse privilégio. E ele merece.