ANÁLISE: Ponto na Bombonera esconde atuação irregular do Corinthians

Timão vem em boa fase para o duelo contra o Boca (Foto: Rodrigo Coca / Agência Corinthians)


Ao longo dos 90 minutos durante o empate por 1 a 1 com o Boca Juniors, o Corinthians demostrou diversas facetas. O time alternou momentos de enorme comprometimento tático com sinais de nervosismo. Mas em meio às adversidades, o clube alvinegro retornou ao Brasil com um valioso ponto, deixando encaminhada a vaga ao mata-mata.

> GALERIA - Por onde andam os jogadores do Timão da final da Liberta 2012 contra o Boca na Bombonera

Como já é de praxe nas escalações, Vítor Pereira surpreendeu novamente, apostando em um sistema com cinco defensores, e improvisando Lucas Piton na ala-direita, já que ele não pode contar com Fagner, Rafael Ramos ou João Pedro.

O português escolheu deixar Gil, Renato Augusto, Giuliano e Róger Guedes, jogadores com experiência e bagagem, no banco de reservas, optando por uma zaga com média de 23,3 anos e sete jogadores revelados pelo Terrão.

Nos 20 primeiros minutos da partida, a ideia de se defender em linha de cinco e atacar em uma espécie de 3-6-1 dava certo. O Timão pouco sofria e abriu o placar após persistência de Du Queiroz no rebote do escanteio.

Contudo, no decorrer da primeira etapa, a equipe brasileira ficou refém da sua postura defensiva, sem repertório ofensiva para ameaçar os argentinos.

O Boca também não conseguia chegar com perigo, mas controlava a bola e rondava a área de Cássio. Aos 41 minutos do primeiros, numa sucessão de falhas de Raul Gustavo, Maycon e João Victor, Benedetto não perdoou e colocou justiça no placar.

> TABELA - Confira e simule os jogos do Timão na Libertadores

Na volta do intervalo, os jogadores do Corinthians seguiam mostrando sinais de afobação e um certo descontrole. Passes bobos errados no campo defensivo e muito nervosismo na hora de realizar os movimentos no ataque.

E foi durante os primeiros 20 minutos do segundo tempo, no ápice da tensão, que os jogadores do clube alvinegro caíram na catimba dos argentinos. Cantillo, que estava há 11 minutos em campo, empurrou Pol Fernández, e foi expulso. No calor da confusão, Vítor Pereira também recebeu o cartão vermelho.

O apoio da torcida e o momento dos dois times apontavam para uma virada do Boca Juniors. Era questão de tempo. E foi aí que o Timão se reconectou na partida.

Filipe Almeida colocou Gil para reestabelecer o controle defensivo. Fábio Santos liderou por exemplo, impedindo qualquer chegada pelo lado esquerdo. Gustavo Mosquito e Du Queiroz se entregavam de corpo e alma para impedir que a bola cruzasse o gol de Cássio.

E foi assim, na garra, que o Corinthians superou uma arbitragem atrapalhada e atuação irregular de seus jogadores para somar um ponto na Bombonera, e precisar apenas de um empate diante do seu torcedor na próxima quinta-feira (26), às 21h, contra o Always Ready, para avançar às oitavas de final da Libertadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos