Análise: no reencontro com Renan Gorne, quem se sobressaiu foi Kanu, vital para a goleada do Botafogo

·1 minuto de leitura


O sistema ofensivo do Botafogo teve uma tarde de felicidade, sendo parte presente do Botafogo na goleada por 3 a 0 sobre o Remo, neste domingo, pela 3ª rodada da Série B. Outro elemento, contudo, precisa ser destacado: a defesa também foi essencial para evitar que o Alvinegro sofresse perigo de gol.

Neste sentido, o tão comentado reencontro com Renan Gorne, atacante que fez sucesso nas categorias de base do Botafogo mas teve poucas chances no profissional, terminou em final feliz para o Glorioso. Principalmente para o Kanu, responsável por marcá-lo em boa parte do jogo e evitar que ele aparecesse no placar.

O camisa 9 do Remo teve apenas uma chance de marcar, ainda no primeiro tempo do duelo, justamente quando venceu o zagueiro do Botafogo no posicionamento e subiu livre para cabecear, mas errou a finalização.

Fora isto, Kanu o dominou e foi um dos motivos pelos quais o Botafogo teve tanto espaço para "sobrar" no ataque. Afinal de contas, também vale ressaltar que os gols do Alvinegro nasceram em transições - ou seja, em ações defensivas que geraram o espaço para o time ter o contra-ataque.

Em campo, o zagueiro ganhou oito duelos - quatro pelo chão e quatro pelo alto -, sofreu quatro faltas e contribuiu com seis cortes. Renan Gorne, por sua vez, finalizou três vezes - todas para fora do alvo defendido por Douglas Borges. Os dados são do "SofaScore".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos