Análise: meio de campo do São Paulo rende pouco e compromete o ataque da equipe contra o Corinthians

·4 minuto de leitura


Na última quarta-feira (30), o São Paulo enfrentou o Corinthians, na Neo Química Arena, pela oitava rodada do Brasileirão. Em um jogo onde o meio de campo do Tricolor foi muito mal, o time apresentou grandes dificuldades para levar perigo ao gol adversário.


CONFIRA A TABELA ATUALIZADA E SIMULE OS JOGOS DO BRASILEIRÃO DE 2021!

Para o jogo, o auxiliar Juan Branda, que comandou a equipe, substituindo o treinador Hernán Crespo (afastado por Covid-19), entrou com uma alteração no meio de campo da equipe. O argentino decidiu escalar Daniel Alves como um meia, tirando-o da ala direita e deixando o lateral Igor Vinícius em seu lugar.

Assim, o meio de campo foi um setor com nomes de peso, tendo Luan como o primeiro volante, Liziero e Daniel Alves à sua frente e Benítez jogando mais próximo ao atacante Eder, sendo o principal articulador da equipe.

Entretanto, o que foi visto em campo destoou muito do que era esperado no papel. Mesmo com muitos jogadores no setor de criação, o time teve um rendimento muito abaixo do esperado, criando poucas oportunidades na primeira etapa, na qual o time finalizou apenas uma vez, de fora da área e para fora da meta defendida por Cássio.

Liziero e Daniel Alves tiveram atuação pouquíssimo movimentada. O camisa 14, por exemplo, perdeu 15 dos 20 duelos que travou pelo chão e não deu nenhum passe importante na partida, sendo pouco efetivo para a criação. O meia também perdeu a posse 16 vezes e recebeu cartão amarelo no segundo tempo.

Mais à frente, Martín Benítez também teve atuação muito abaixo da média. O argentino, que é um dos principais armadores do time, distribuiu 19 passes, sendo que nenhum destes foi importante para criar alguma oportunidade de gol. Anulado pela marcação adversária, o camisa 8 não conseguiu chutar nenhuma vez.

O centroavante do time, Eder, teve uma atuação fraca, chutando apenas uma vez, sendo uma finalização para fora da meta corintiana. A falta de proximidade do meio de campo com ataque e a falta de criação de jogadas da equipe são fatores que atrapalharam o atacante.

Assim, o São Paulo teve um rendimento muito fraco no meio de campo. Os meias da equipe foram pouco criativos, não escapando da marcação do rival e não encontrando companheiros livres ou criando boas oportunidades de ataque. Com um ataque fraco, o time não balançou as redes e praticamente não criou jogadas de perigo o suficiente para abrir o placar.

Faltou aproximação dos meias com Benítez, o mais ofensivo dos meias, para dar maior volume ao ataque da equipe, além de dar mais opções de passe para o camisa 9.

Além disso, faltou usar melhor as alas, se utilizando de possíveis infiltrações dos meio-campistas. Os alas Igor Vinícius e Reinaldo não contribuíram muito ao jogo, e quando acionados, não conseguiram achar bons cruzamentos ou criar boas jogadas. Esta é uma das principais características do time de Hernán Crespo, mas não foi explorada por Juan Branda no clássico.

No segundo tempo, a entrada de Rigoni no lugar de Benítez não mudou a característica da equipe, também tendo dificuldades para sair da marcação corintiana e não tendo apoio para criar as jogadas.

Nestor, que entrou mais ao final da partida, fez algo que o time fez pouco durante o jogo, arriscando de fora da área, obrigando o Cássio a fazer uma defesa, dando, ainda, um rebote para Vitor Bueno, também defendido pelo goleiro do Corinthians.

Com o jogo fraco no ataque, a defesa do São Paulo foi o diferencial da equipe. O trio de zaga com Miranda, Bruno Alves e Léo funcionou muito bem. Pelo lado esquerdo, Léo anulou Gustavo Silva, principal jogador do ataque corintiano. O volante Luan também foi importante na marcação no meio de campo, dando maior contenção para o time.

Somando um meio de campo e ataque ineficiente a uma zaga segura, o placar de zero a zero foi condizente ao desempenho do São Paulo no clássico contra o Corinthians.

Com o resultado, o Tricolor segue sem vencer no Campeonato Brasileiro. Após oito rodadas, o time soma três derrotas e cinco empates, somando apenas cinco dos 24 pontos já disputados na competição.

O próximo jogo do São Paulo é no próximo domingo (4), às 18h15, no Morumbi, contra o Red Bull Bragantino, atual líder do Brasileirão. O jogo é valido pela nona rodada do torneio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos