ANÁLISE: em vitória do Corinthians, Lázaro provou que Vítor Pereira estava errado


Ainda está muito cedo para saber se Fernando Lázaro será um dos grandes treinadores da história do Corinthians, tampouco se ele irá mais longe que o seu antecessor. Mas já é válido dizer que em uma partida, o atual treinador corintiano provou que o Vítor Pereira estava errado.

Após o Timão ser derrotado pelo Atlético-GO, em Goiânia, pelo jogo de ida da Copa do Brasil do ano passado, no último dia 28 de julho, Vítor declarou que os atacantes Róger Guedes e Yuri Alberto não poderiam jogar juntos. E na primeira vez que Lázaro teve a dupla à disposição não só os escalou como ela foi responsável por todos os gols da vitória corintiana por 3 a 0 sobre o Água Santa, pela segunda rodada do Campeonato Paulista. O jogo aconteceu na última quarta-feira (18), na Neo Química Arena.

+ Com gols e assistências, Yuri Alberto e Róger Guedes são os “caras” da vitória do Corinthians sobre o Água Santa

De acordo com VP, com Róger e Yuri atuando juntos, o time não conseguia defender os corredores. O português, por sua vez, insistia em um mesmo sistema de jogo, o 4-3-3, sem fazer variações, seja dentro da própria partida ou entre um compromisso e outro. Assim, realmente havia um problema de recomposição no lado canhoto.

Com Fernando Lázaro, o Corinthians tem alternado o esquema dentro do próprio jogo, mas na maior parte do tempo adota o 4-4-2 em losango. Assim, a dupla de atacantes fica mais solta na frente e dois meias passam a ser os responsáveis por fechar as alas. Contra o Netuno, por exemplo, o quarteto central começou com Maycon fazendo a função de volante, à frente da linha defensiva, Du Queiroz aberto pela direita, Renato Augusto no lado esquerdo, e Adson atuou mais centralizado, por dentro, mas também flutuando para ajudar pelas beiradas.

Yuri Alberto e Róger Guedes - Corinthians x Água Santa
Yuri Alberto e Róger Guedes - Corinthians x Água Santa

Contra o Água Santa, Róger Guedes marcou dois gols, e Yuri um (Foto: Rodrigo Coca/ Ag. Corinthians)

Não dá para esconder que, sim, o Timão teve alguns problemas na parte defensiva, sendo eles principalmente do lado esquerdo, mas muito por conta das dificuldades de Fábio Santos e Renato Augusto em fazer esse serviço do que por uma responsabilidade de Róger Guedes voltar para marcar. Na ordem do sistema, o que era pedido para que o camisa 10 fizesse, ele fez: gol. E não só um, dois. Ambos contando com assistências do seu companheiro de ataque, Yuri Alberto, que também deixou a sua marca uma vez.

Também não dá para ser hipócrita e atacar o Vítor Pereira porque ele deixou o Corinthians nas circunstâncias que todos sabemos. Mantenho a opinião de que seria ótimo a permanência dele - mesmo com as informações de mau ambiente com os jogadores se confirmando a cada dia. Mas o português entende bastante de futebol e já havia deixado claro que não tinha aplicado tudo o que gostaria no Timão, o que poderia acontecer em 2023. Com uma pré-temporada, pegando um planejamento desde o início e com o conhecimento do futebol brasileiro, o seu calendário e demais dificuldades, eu acredito que o Time do Povo poderia ir bem longe em 2023. Mas é fato que o trabalho do treinador português, hoje no Flamengo, também teve erros. E um deles era achar que Róger Guedes e Yuri Alberto não poderiam jogar juntos.

+ Confira a tabela do Paulistão e simule os jogos da competição nacional

E da forma que Fernando Lázaro mostrou que Vítor Pereira estava errado e que se pode - até se deve - jogar com Róger e Yuri juntos, Pereira pode trazer consigo um alerta para o atual treinador corintiano: a importância de jogar como Corinthians quando houver as adversidades. O melhor momento do lusitano à frente do Timão foi entre junho e o início de julho, onde, mesmo chegando a ter 10 desfalques, conseguiu se manter no pelotão alto do Brasileirão e se classificar nas oitavas de final da Libertadores e Copa do Brasil. Lázaro, por sua vez, na sua estreia teve baixas sentidas, como as de Renato Augusto, Adson, Yuri Alberto e os recém-chegados Matheus Bidu e Ángel Romero, e o time alvinegro não conseguiu jogar contra o Red Bull Bragantino, no último domingo (15).

É nítido que o Corinthians muda de postura quando tem nomes como Renato Augusto, Yuri Alberto e Róger Guedes jogando juntos, mas é importante frisar que nem sempre o trio estará disponível em conjunto, principalmente porque o Renato já tem uma idade mais avançada e necessita de atenção especial na parte física. E é nesse momento que Fernando Lázaro precisará ser um pouquinho Vítor Pereira e saber se reinventar, para, se preciso for, colocar um caminhão de jogadores no sistema defensivo só para garantir uma vitória e classificação. Será importante que o atual treinador saiba jogar não só com o elenco completo, mas com os empecilhos que vão gerar limitações no decorrer da temporada.