Análise: Benítez comanda ótima estreia do São Paulo na Libertadores

Tatiana Furtado
·2 minuto de leitura

O conturbado fim da temporada de 2020 do São Paulo – conquista da vaga direta na Libertadores aos trancos e barrancos, protestos pela saída do técnico Fernando Diniz e desmonte do departamento de futebol – deixou no ar dúvidas de que como seria o 2021 do time agora comandado por Hernan Crespo. As primeiras amostras são promissoras. Se o recente retrospecto no Paulista não serve como baliza – foram quatro vitórias em seis dias –, a estreia com vitória por 3 a 0 na Libertadores mostra um time forte e competitivo para a disputa do Grupo E, que, além do Sporting Cristal, tem Racing e Rentistas. E um reforço que já conquistou sua vaga: Martín Benítez.

– Tivemos uma defesa muito bem coordenada. Conseguimos manter a intensidade durante os 90 minutos diante de um time invicto há muito tempo. Muito feliz pelo time ter conseguido manter essa intensidade – disse Benítez após o jogo.

Em Lima, o argentino comandou o meio-campo são-paulino quando o time esteve com a bola nos pés. O que aconteceu na maior parte do tempo. Com Daniel Alves de ala pela direita – os laterais Igor Vinicius e Orejuela estão machucados –, o cérebro da equipe foi função do ex-jogador do Vasco, que fez sua estreia no São Paulo há menos de 10 dias.

Com os espaços dados pelo Sporting Cristal, Benítez conseguiu controlar o jogo com seu toque de bola refinado e limpar os lances com simplicidade. Foi assim que saiu o primeiro gol do São Paulo ainda no primeiro tempo. Jogada do argentino cujo rebote dado pela defesa sobrou para o volante Luan marcar seu primeiro gol na carreira.

Também teve tempo de mostrar uma das suas principais características: a finalização de fora da área. Num erro dos peruanos, Luan, outro destaque do jogo, roubou a bola e deu para Benítez finalizar bonito.

Benítez é o tipo de jogador, no entanto, que precisa desse espaço para que seu jogo flua ou ele pode sumir da partida. Em alguns momentos, isso aconteceu. Mas foi por pouco tempo e sua visão de jogo ajudou a consolidar a vitória do tricolor paulista.

O time de Crespo, no entanto, ainda com erros a corrigir. Invicto há 21 jogos, o atual campeão peruano conseguiu dar alguma pressão quando o São Paulo afrouxou a marcação na saída de bola. A zaga ou o goleito Tiago Volpi conseguiram conter os avanços. Rapidamente, o técnico colocou fôlego novo na defesa e no ataque. Entre eles, tirou o apagado Pablo e colocou Eder que fechou o placar com mais um belo gol.

Um resultado convincente para a torcida.