Amoroso cobra títulos do São Paulo e revela: “raiva” o levou ao Corinthians

Goal.com

O ex-jogador Amoroso participou da live no Instagram da Goal Brasil e falou sobre diversos momentos de sua carreira. Uma delas, que não pode ficar sem comentar, foi sua passagem de cerca de oito meses pelo Corinthians. O campeão mundial pelo rival São Paulo, contou a respeito de seus últimos meses no Tricolor paulista e a tentativa frustrada de renovação, que estão por trás da ida do atacante ao Timão, meses depois.

"Eu tinha contrato com o São Paulo até 31 de dezembro [de 2005], e logo após a conquista da Libertadores eu tinha pedido para renovar o meu contrato. Eu queria permanecer no Brasil e não sair mais", lembra Amoroso, e acrescentou que "queria seguir conquistando títulos. Mas situações aconteceram (...) Eu tinha pedido três anos de contrato e não recebi proposta nem para um ano e nem meio ano. Depois eu vim a saber que um ex-auxiliar que tinha, infelizmente, muita força no clube, falou que eu não ia mais render nada. E eu soube disso depois". 

Por isso, o ex-jogador relatou que a "raiva" de pessoas como esse ex-auxiliar, que ele não revelou o nome, foram combustíveis para o retorno a um rival direto do São Paulo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Quando eu volto para o Brasil, em 2006, voltei de raiva dos caras. Aquele mesmo cara (ex-auxiliar do São Paulo), quando eu assinei pelo Corinthians, ele me liga e fala assim: ‘pô, você nem falou que queria voltar para o Brasil, a gente queria’. Aí você imagina o que eu falei pra ele, né? O meu negócio é profissional, eu não devo nada pra ninguém'", disse Amoroso.

Ele comenta que apesar do pouco sucesso do Alvinegro paulistano, Amoroso sempre se sentiu acolhido e bem tratado no clube.

"Eu não tenho nada para falar do Corinthians, todo mundo lá sempre me tratou bem (...) Não deu certo, eu sofri lesões? Tudo bem, mas não é culpa minha", falou o ex-atacante.

Sobre o São Paulo, Amoroso é mais um dos 'torcedores' indignados pela falta de títulos da agremiação paulista e cobrou o clube.

"“Inadmissível este tempo sem título (...) Quem ganha título é quem está jogando”, afirmou o ex-atleta.

Leia também