Americano é expulso por morder rival no Mundial de Handebol

Paul Skorupa foi punido com o cartão vermelho após morder um jogador da seleção do Bahrein

Paul Skorupa perdeu a linha durante o confronto entre Estados Unidos e Bahrein pelo Mundial de Handebol. Foto: Johan Nilsson/AFP via Getty Images
Paul Skorupa perdeu a linha durante o confronto entre Estados Unidos e Bahrein pelo Mundial de Handebol. Foto: Johan Nilsson/AFP via Getty Images

Uma grande polêmica tomou conta do Mundial Masculino de Handebol que está sendo disputado na Suécia e Polônia. O protagonista foi o jogador dos Estados Unidos Paul Skorupa, acusado de lembrar Luis Suárez na Copa do Mundo do Brasil e realizar uma das ações mais antidesportivas de que há memória.

O pivô do time americano mordeu um rival durante o confronto entre Estados Unidos e Bahrein, na cidade sueca de Malmö. Aos dez minutos do segundo tempo, Skourpa, jogador que joga no Lübeck-Schwartau, time da segunda divisão alemã, perdeu a paciência e começou a brigar com um rival do time do Bahrein.

Leia também:

Seu adversário nesta disputa foi Husain Al-Sayyad. Skorupa agarrou a camisa do rival e puxou em sua direção, abaixando a cabeça ao mesmo tempo até que sua boca grudasse no peito de seu rival.

Os árbitros, que presenciaram a confusão, recorreram às imagens gravadas em vídeo e à opção da videoarbitragem para decidir a sanção que iam aplicar ao pivô da seleção dos Estados Unidos. Depois de consultar a polêmica ação, eles não hesitaram e mostraram o cartão vermelho a Skorupa.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em seguida, mostraram-lhe também um cartão azul, que indicava que, a critério do árbitro, a ação poderia merecer uma sanção maior, que seria estudada após a partida.

Skorupa se declarou inocente e reiterou repetidamente que não havia cometido a agressão.

"Eu me defendi com a cabeça, mas nunca o mordi. Pode ser que o ombro dele esteja um pouco vermelho, mas provavelmente foi minha cabeçada que causou isso", disse em declarações para a rádio dinamarquesa DR Sporten.

Já o jogador do Bahrein explicou repetidas vezes que seu agressor não apenas o atingiu, mas também cravou os dentes nele: "Não sei o que aconteceu. Viemos jogar um jogo de handebol e tentou me morder no braço. Talvez ele quisesse me provocar, mas não funcionou para ele".

Husain Al-Sayyad foi a grande estrela da partida com seus onze gols e levou seu time à vitória por 32 a 27 mantendo chances do seu time para chegar às quartas de final e despachando os americanos do torneio.