Americana medalhista de prata faz protesto contra opressão durante cerimônia de pódio

·1 minuto de leitura
Raven Saunders protesta com a medalha de prata (INA FASSBENDER/AFP via Getty Images)
Raven Saunders protesta com a medalha de prata (INA FASSBENDER/AFP via Getty Images)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A arremessadora americana Raven Saunders fez neste domingo (1º) um protesto durante a cerimônia de pódio nos Jogos Olímpicos de Tóquio

A medalhista de prata ergueu os braços e os cruzou sob a cabeça em formato de X. A jovem, de 25 anos, negra e gay, afirmou que o gesto representa "o cruzamento onde todas as pessoas oprimidas se encontram". 

Leia também:

Depois da prova, Saunders disse, ainda, que gostaria de dar visibilidade a "pessoas de todo o mundo que estão lutando e não têm plataforma para falar por si mesmas". 

Antes do início das Olimpíadas, o COI (Comitê Olímpico Internacional) avisou que passaria a permitir protestos dos atletas durante os Jogos de Tóquio, mas não nas cerimônias de pódio. Por enquanto, a entidade não se manifestou sobre a ação da americana. 

A prova foi vencida pela chinesa Gong Lijiao, e a neozelandesa Valerie Adams levou o bronze.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos