Ambulâncias em Los Angeles escolhem pacientes com covid-19 com mais chances de sobreviver

·1 minuto de leitura
After administering him with oxygen, County of Los Angeles paramedics load a potential Covid-19 patient in the ambulance before transporting him to a hospital in Hawthorne, California on December 29, 2020 as a family walks by. - The new variant of coronavirus was detected for the first time today in the United States and Latin America as President-elect Joe Biden vowed to significantly ramp up the vaccination drive. The coronavirus has killed at least 1,775,272 people since the outbreak emerged in China in December 2019, according to an AFP tally on December 29 based on official sources. The United States is the worst-affected country with 334,967 deaths, followed by Brazil with 191,570. (Photo by Apu GOMES / AFP) (Photo by APU GOMES/AFP via Getty Images)
Paramédicos transportam paciente com covid-19 em Los Angeles, em 29 de dezembro (Foto: Apu Gomes/AFP via Getty Images)

Com o agravamento da pandemia do coronavírus em Los Angeles, nos Estados Unidos, as equipes de ambulância foram instruídas a levar para os hospitais os pacientes com maior chance de sobrevivência. Segundo o jornal Los Angeles Times, a ideia é não lotar os centros médicos, que já estão praticamente lotados.

As equipes que trabalham nas ambulâncias deverão fazer um esforço maior para recuperar os pacientes no local do atendimento por 20 minutos, aproximadamente. Caso a pessoa não tenha sinais de respiração ou pulso, não devem ser levados ao hospital. A orientação foi dada pela Agência de Serviços Médicos de Emergência de Los Angeles.

Antes, todos os atendidos por ambulâncias eram levados a centros médicos, já que poderia receber um atendimento melhor em hospitais. Antes da crise sanitária provocada pela covid-19, havia leitos suficientes para que todos fossem atendidos.

Leia também

Ao Los Angeles Times, a médica Christina Ghaly, diretora dos serviços de saúde de Los Angeles, afirmou que o ponto é tão crítico que muitos hospitais “precisam tomar decisões difíceis sobre os cuidados com os pacientes”.

Para a médica, o aumento expressivo de pessoas internada aconteceu devido ao feriado de Ação de Graças, no início de dezembro. As infecções no Natal e no Ano Novo ainda não teriam aparecido, mas já preocupam as autoridades da saúde.

Na última segunda-feira, 4, Los Angeles tinha apenas 17 leitos de UTI para adultos.