Amanda Nunes pede novas desafiantes aos seus cinturões: "trazer algo novo"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Amanda Nunes
    Amanda Nunes
    Lutadora brasileira de artes marciais mistas
LAS VEGAS, NEVADA - MARCH 06: Amanda Nunes of Brazil reacts after her victory over Megan Anderson of Australia in their UFC featherweight championship fight during the UFC 259 event at UFC APEX on March 06, 2021 in Las Vegas, Nevada. (Photo by Jeff Bottari/Zuffa LLC)
Campeã vai para sua oitava defesa de cinturão no UFC e confessa que quer baixar o ritmo de lutas até a aposentadoria. Foto: (Jeff Bottari/Zuffa LLC)

A campeã simultânea das categorias peso galo feminino e peso pena feminino do UFC, Amanda 'Leoa' Nunes, irá defender seus cinturões pela oitava vez no próximo final de semana, mas já anunciou que irá começar a colocar o pé no freio em relação a frequência de suas lutas. No próximo sábado, em Las Vegas, Estados Unidos, uma das disputas do UFC 269 será entre Amanda e Juliana Peña, que é a disputante do cinturão dos pesos galo feminino. 

Em entrevista ao Esporte Espetacular, da Globo, Amanda Nunes disse que: "Por já estar há um bom tempo como campeã, segurando dois cinturões - defendendo os dois também, um feito que ninguém nunca conseguiu fazer -, chega num limite que a gente já pensa em começar não a se aposentar, mas ir devagarzinho, não ter pressa para as próximas lutas, com uma luta por ano ou duas. Estou chegando aos 34 anos também, o corpo vai sentindo um pouco mais, e a gente não treina tanto quanto quando eu tinha 20 anos, toda hora é uma lesão. Mas, enquanto eu puder, vou continuar".

Leia também:

A campeã, ainda, disse que gostaria de uma 'oxigenação' nas suas lutadoras rivais. Segundo ela, até mesmo atletas de outras organizações poderiam ser chamadas: "Acho que nesse momento a gente tem que deixar o 'mixing'. As meninas que estão brigando há um tempo, que não são top 10, que não são top 5, têm que ter oportunidade também. Não escolho nenhuma oponente e é claro que se tiver que lutar com Holly (Holm), com Germaine (de Randamie), seja com quem for, vou lutar, mas acho que o público quer ver algo novo. Tem que dar uma mexida na categoria mesmo, botar as meninas para se enfrentarem, e trazerem essas meninas que estão lá no fundo, para a gente trazer algo novo para o público, não ficar essa coisa estagnada como está. Acho que o UFC realmente tem que dar uma sacudida na divisão, até buscar novos talentos e talvez trazer mais meninas de outros shows. Isso que a gente está esperando".

Com 33 anos, Amanda Nunes soma 21 vitórias e 4 derrotas em sua carreira, sendo sua última derrota no ano de 2014, no UFC 178.

O UFC 269 ainda contará, no card principal, com os brasileiros Charles do Bronx e Raulian Paiva.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos