Kluivert foi pressionado por máfia holandesa por dívida de aposta, diz jornal

Bruxelas, 25 mar (EFE).- O ex-jogador holandês e atual diretor esportivo do Paris Saint-Germain, Patrick Kluivert, foi pressionado por uma máfia de apostas após ter acumulado 1 milhão de euros em dívidas entre 2011 e 2012, disse neste sábado o jornal "De Volkskrant".

A Promotoria Financeira da Holanda (FIOD) prendeu em fevereiro de 2015 cinco pessoas relacionadas ao caso. Durante as operações de busca e apreensão, foram encontrados documentos comprometedores sobre o ex-atacante do Barcelona e da seleção holandesa, afirmou o jornal.

Segundo os documentos, Kluivert teria feito apostas em partidas da equipe do Twente entre 2011 e 2013, período em que foi técnico das categorias de base do clube. Apesar de sua relação com o time, as apostas não eram expressamente proibidas por lei na época.

Kluivert pagou parte da dívida ao grupo criminoso, que é comandado por um homem que estava envolvido na manipulação de partidas. Depois, a máfia tentou extorquir o restante do dinheiro do ex-atacante nos últimos anos.

O advogado de Kluivert, Gérard Sprong, disse que seu cliente é uma vítima do caso e que nunca teve envolvimento com o esquema de manipulação de partidas na Holanda.

O "De Volkskrant" explicou que a Justiça não tem provas de que o ex-jogador estava envolvido na manipulação e que Kluivert foi ouvido pelos promotores na condição de "testemunha".

O caso deve chegar aos tribunais no fim deste ano. EFE