Alvo de ameaças por grupo anônimo, streamer é vítima de racismo e intolerância religiosa

LANCE!
·2 minuto de leitura


A comunidade brasileira de e-sports foi atingida por um caso grave de um ataque coordenado que envolveu ameaças, racismo e até intolerância religiosa. A streamer Ana Beatriz 'Preta' denunciou o caso de qual foi vítima em sua conta no Twitter e explicou, com detalhes, o que aconteceu.

Em uma thread, a streamer explicou que um grupo realizou um ataque com contas falsas durante sua transmissão. Sempre elogiada pela representatividade que traz a causas sociais, desta vez Ana Beatriz foi alvo de comentários racistas e até de intolerância religiosa, já que é fiel da Umbanda.

- Uma pessoa (ou várias pessoas) citaram contas com nomes racistas pra entrar na minha stream e me atacar verbalmente. Me xingaram de todas as formas, foram machistas, racistas e preconceituosos com meu cabelo, meu estado (sou carioca) e principalmente minha cor - afirmou em um dos vários tweets que fez.

Confira a tabela de classificação do Campeonato Brasileiro

A streamer também destacou sua indignação com a Twitch, plataforma de lives famosa no mundo dos games. Segundo Ana, o site deveria proibir que pessoas pudessem criar contas com termos racistas e preconceituosos, já que possuem uma política bem rígida com outros termos.

- A minha indignação é com a Twitch. Como uma plataforma de stream permite que pessoas criem nicks tão racistas quanto esses e dão ban em pessoas que falem a palavra Megazord? Como não conseguem ter uma forma de banir pessoas pelo IP para crime como racismo, por exemplo? - questionou.

Até o momento desta publicação, a Twitch não se manifestou publicamente sobre o caso.

Confira a thread da stremer: