Alisson fala sobre goleiros brasileiros na Seleção e coloca Weverton, do Palmeiras, em 'Top 10' mundial

·3 min de leitura


Na Europa desde 2016, o goleiro Alisson acompanha o futebol brasileiro e conhece o nível dos seus companheiros de posição na Seleção que atuam no Brasil, principalmente Weverton, presença constante nas listas de Tite e que, para o titular da Canarinho está, talvez, entre os 10 melhores do mundo na posição.

- Para mim, o Weverton é um goleiro de nível mundial. Talvez o melhor jogador no futebol brasileiro e talvez está entre os 10 melhores goleiros do mundo. E isso se deve aos resultados dele dentro de campo. Obviamente, quando falamos dos melhores, eles são os que estão vencendo títulos, e isso credencia ele - disse o arqueiro do Liverpool-ENG em entrevista coletiva disponibilizada pela CBF na manhã desta quinta-feira (11), quando o Brasil encara a Colômbia, na Neo Química Arena, pela 11ª rodada das Eliminatórias para a Copa do Mundo.

- O Weverton é um grande goleiro e tem merecido isso, do desempenho dentro e fora de campo. É um cara merecedor de estar na Seleção Brasileira. Eu e o Ederson fazemos parte de duas grandes equipes, que estão em alto nível, e isso é importante para nós e para a Seleção, que está sempre bem servida de goleiros - acrescentou Alisson.

Na convocação para os duelos diante da Colômbia e Argentina, que acontecerá na próxima terça-feira (16), em San Juan, Weveerton não foi convocado, pois o técnico Tite preservou os atletas que atuam em times brasileiros para não prejudicar as equipes que estão na reta final de competições nacionais e continentais. Exceção feita ao garoto Gabriel Chapecó, do Grêmio, que, aos 21 anos, ganhou a sua primeira chance com o grupo do Brasil.

Chapecó é reserva do campeão olímpico em Tóquio, Brenno, no Tricolor Gaúcho, por isso a sua ausência não seria tão sentida pelos gremistas, que lutam contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

Ainda assim, enquanto o seu companheiro de Tricolor esteve servindo a Seleção nos Jogos de Tóquio, Gabriel se destacou, o que fez com que ele fosse chamado por Tite na atual convocação.

- Gabriel veio jogando recentemente, nessa temporada teve oportunidades quando o Brenno foi para a Seleção Olímpica. Brenno também é um grande goleiro. O Brasil revelou e continua revelando goleiros jovens, com potencial grande, e com ele (Chapecó), não é diferente, goleiro com potencial, bom desempenho, de equipe importante, primeira divisão do futebol brasileiro, é bom ver que a Seleção está bem servida não só para agora, mas também para o futuro. E o que ele precisar, eu e o Ederson hoje estaremos aqui - afirmou Alisson, que oi convocado pela primeira vez em 2015, aos 22 anos, um a mais que Gabriel Chapecó, e relembra quando o seu nome chegou a ser ventilado por Felipão para integrar a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2014 e que, ainda que ele não tenha sido convocado na lista final a menção o impulsionou ao objetivo de servir o Brasil.

- Eu tive perto de ter uma oportunidade antes da Copa de 2014, Na época soube que estavam pensando em me trazer, quando eu comecei a jogar como titular no Inter. Até fui convocado para o sub-20, no Torneio de Toulon, e isso significou muito, saber que o treinador da Seleção principal estava com o meu nome na cabeça, mesmo para estar no grupo, fazer parte de uma renovação. Para mim foi uma felicidade grande e mesmo não acontecendo teve um efeito positivo na minha vida, porque eu coloquei como alvo na minha cabeça chegar a Seleção Brasileira e fui determinado a conseguir isso - ressaltou Alisson.

Titular do Brasil na última Copa do Mundo, disputada na Rússia, em 2018, Alisson chega nesta quinta-feira (11) ao jogo de número 50 pela Seleção Brasileira e já é uma das figuras mais experientes do elenco.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos