Para algumas estrelas, os Jogos de Tóquio em 2021 poderão chegar tarde demais

AFP

O adiamento por um ano dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, oficializado na terça-feira (24) como medida de precaução diante da pandemia do coronavírus, deve dificultar a presença no evento de algumas estrelas veteranas, para as quais a Olimpíada poderá acontecer tarde demais.

. Roger Federer:

Vinte vezes campeão de torneios de Grand Slam, o tenista suíço, que fará 40 anos em agosto de 2021, conquistou o ouro olímpico em duplas ao lado do compatriota Stan Wawrinka em Pequim-2008, mas foi eliminado nas quartas de final na chave de simples. Quatro anos depois, em Londres, perdeu a final para Andy Murray e uma lesão o privou de disputar os Jogos do Rio-2016.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em sua primeira participação olímpica, em Sydney-2000, Federer deu adeus ao torneio nas quartas de final, mas cultiva um carinho especial pela Austrália, porque foi lá que conheceu sua esposa, Mirka Vavrinec.

"No todo, foram provavelmente os Jogos mais incríveis que vivi", admite Federer, que teve a honra de ser o porta-bandeira da delegação suíça em Pequim-2008 e Atenas-2004.

. Serena Williams:

A mais nova das irmãs Williams fará 40 anos em setembro de 2020, mas Serena não tem a pressão de ganhar o ouro olímpico, título que conquistou em Londres-2012. A americana também possui no currículo três ouros em duplas, jogando ao lado da irmã Venus (2000, 2008, 2012).

Mas Serena olha para os Jogos de Tóquio como uma oportunidade para se livrar do gosto amargo deixado pelos Jogos do Rio-2016, onde foi eliminada na terceira rodada pela ucraniana Elina Svitolina.

. Tiger Woods:

O golfista americano, que fará 46 anos em dezembro de 2021, teria encontrado muita dificuldade para fazer parte da equipe olímpica em 2020, já que ocupa atualmente apenas o sexto lugar no ranking norte-americano e somente os quatro primeiros garantem uma vaga.

Woods, campeão de 15 Majors, vem lutando há anos contra uma lesão persistente nas costas e o adiamento dos Jogos poderia significar um pouco mais de tempo para se recuperar e melhorar sua posição no ranking.

. Lin Dan:

O extravagante e polêmico ídolo do badminton chinês terá 37 anos quando forem disputados os Jogos de Tóquio, onde tentará conquistar um terceiro título olímpicos (2008, 2012) para seu currículo, que já conta com cinco títulos mundiais.

Apesar da brilhante carreira, Lin está engasgado com a derrota nas semifinais dos Jogos do Rio-2016 para seu maior rival, o malásio Lee Chong Wei, que se aposentou.

. Allyson Felix:

A única mulher do atletismo a ter vencido seis medalhas de ouro quer ampliar seu feito em Tóquio.

Felix, que terá 35 anos no final deste ano, sabe que corre contra o tempo para ampliar sua coleção de medalhas no que serão os quintos Jogos Olímpicos da carreira.

A americana, porém, sabe que dificilmente se tornará a atleta mais experiente a ganhar uma medalha olímpica, um feito que pertence à jamaicana Merlene Ottey, que tinha 40 anos quando conquistou o bronze no revezamento 4x100 m em Sydney-2000.

. Justin Gatlin:

O velocista americano planejava se aposentar em 2020 após competir nos Jogos Olímpicos pela quarta vez, aos 38 anos. Com o adiamento, Gatlin já anunciou que ira retardar o adeus para depois da competição na capital japonesa.

"Acredito que muitos acham que o tempo corre contra mim ou contra os atletas mais experientes nesta situação, mas isso está longe de ser verdade", declarou o polêmico Gatlin, campeão olímpico em 2004 e que no passado foi suspenso duas vezes por doping.

. Pau Gasol:

O pivô Pau Gasol, prata com a seleção espanhola de basquete em Pequim-2008 e Londres-2012 e bronze no Rio-2016, quer chegar a Tóquio apesar do adiamento.

Para Gasol, os Jogos em 2021 são, na verdade, um alivio: "Agora tenho um pouco mais de tranquilidade, porque terei um pouco mais de margem para recuperar o pé", afirmou o pivô que fará 40 anos de idade em julho.

. Alejandro Valverde:

O ciclista espanhol Alejandro Valverde, que após conquistar o campeonato mundial de 2018 mira a medalha olímpica, quer estar em Tóquio, no que seriam seus quinto Jogos Olímpicos.

"Se os Jogos foram finalmente no verão (boreal) de 2021, se tudo for bem e eu tiver condições, eu irei, embora eu estarei com 41 anos e tudo será mais complicado", admitiu.

Leia também