Alexandre Pato declara influência de Cannavaro em ida para a China

Alexandre Pato vestiu a camisa do Villarreal por seis meses e três dias antes de se transferir para o Tianjin Quanjian, da China, no começo deste ano. A rápida passagem pela Espanha deixou os torcedores do clube surpresos e, ao mesmo tempo, desapontados. Pato, em conversa com o jornal Marca, explicou o motivo de ter ido à China nesta oportunidade – e não quando estava no Corinthians e recusou proposta do mesmo time, por exemplo, há cerca de um ano.

Leia mais: Alexandre Pato elogia Tite e sonha com convocação para Copa de 2018

“Poderia ter vindo há um ano, na segunda divisão, quando Vanderlei Luxemburgo chegou no início da temporada. Acontece que falei com Fabio por muito tempo. Ele me perguntou se eu tinha vontade de jogar no futebol chinês. Disse que precisava pensar. E assim nos falamos durante alguns meses. Se não fosse por Fabio, não estaria aqui. Estava bem no Villarreal, mas Fabio foi quem me fez mudar de ideia e vir para cá. A culpa de eu estar aqui é quase toda dele”, declarou o atacante.

Perguntado sobre sua passagem pelo time espanhol, sobre a adaptação ao país e aos companheiros, o brasileiro não poupou elogios.

“Fui muito feliz nos seis meses que estive no Villarreal. Conheci pessoas muito boas. Os companheiros, Marcelino, Fran Escribá, que são grandes treinadores. Na verdade, estive seis meses aqui e pareceu quatro anos. Mas surgiu a oportunidade de trabalhar com Fabio Cannavaro e era uma decisão muito importante para mim. Decidi por vir à China e estou contente aqui. Espero que meus companheiros do Villarreal terminem bem a temporada”, disse.

Outro tema que Pato já havia comentado foi em relação ao retorno à Seleção Brasileira, hoje regida por Tite. O atleta citou os casos de Paulinho, Renato Augusto e Gil, que jogam na China e nem por isso deixaram de vestir a camisa verde e amarela, e elogiou o modo como o novo técnico trabalha.