Alemanha x Hungria: Munique dribla Uefa e exibe mensagens de apoio à causa LGBTQ

·2 minuto de leitura

Por conta do veto da UEFA ao pedido do prefeito de Munique, a Allianz Arena não foi iluminada com as cores do arco-íris para a partida entre Alemanha e Hungria desta quarta-feira (23) pela 3ª rodada da fase de grupos da Eurocopa. Mas isso não impediu que outras manifestações pró-diversidade acontecessem no estádio e em seus arredores antes, durante e após a partida, visto que estamos em pleno junho, mês do Orgulho LGBTQ+.

Cerca de 11 mil pequenas bandeiras LGBTQ+ foram distribuídas entre torcedores alemães presentes no estádio para a acompanhar a partida. Além disso, diversos clubes de futebol do país iluminam seus respectivos estádios com as cores do arco-íris no horário do duelo contra os húngaros: "Nenhuma provocação, apenas algo muito natural. O Schalke 04 significa igualdade e tolerância", publicou a equipe de Gelsenkirchen.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.
Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Em coletiva de imprensa concedida na véspera do encontro, o zagueiro Mats Hummels se posicionou publicamente, reforçando o compromisso do time alemão com o apoio às minorias: "Para mim, pessoalmente, eu gostaria de ver o estádio iluminado, sem causar nenhum problema. Eu apoio esse tipo de mensagem. Esses são pequenos sinais, pequenos passos na direção certa", afirmou.

Neuer utiliza faixa de capitão nas cores da bandeira LGBTQ+ | Alexander Hassenstein/Getty Images
Neuer utiliza faixa de capitão nas cores da bandeira LGBTQ+ | Alexander Hassenstein/Getty Images

Entenda a 'queda de braço'

No início da semana, o governo de Munique enviou uma moção à Uefa, solicitando autorização para iluminar a Allianz Arena com as cores da bandeira LGBTQ+ para o duelo contra a Hungria. A iniciativa tinha como objetivo passar uma mensagem de apoio e solidariedade à população LGBTQ+ húngara, que vem sofrendo retaliações e tendo seus direitos básicos cerceados pela agenda conservadora do governo Orban.

"A capital do estado da Baviera apoia a diversidade, a tolerância e a igualdade genuína no esporte e na sociedade. Por ocasião do jogo entre a Alemanha e a Hungria, o conselho deseja enviar uma mensagem visível de solidariedade à comunidade LGBT na Hungria, que está sofrendo com a recente legislação aprovada pelo governo húngaro. Esta lei representa o ponto mais baixo de privação de direitos de lésbicas, gays, bissexuais e pessoas trans", trazia o documento.

A Uefa, no entanto, não acatou o pedido alegando se tratar de um gesto de caráter político, sendo que a entidade se autodenomina neutra. Importante ressaltar que a torcida húngara está sob investigação por ofensas de cunho racista e homofóbico cometidos durante a partida contra a França, pela segunda rodada da Euro 2020, na Puskás Arena.

Ultras da Hungria portaram cartazes anti-LGBT na Puskás Arena | Darko Bandic - Pool/Getty Images
Ultras da Hungria portaram cartazes anti-LGBT na Puskás Arena | Darko Bandic - Pool/Getty Images
Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos