Alemanha goleia Letônia (7-1) em seu último jogo antes da Eurocopa

·2 minuto de leitura

A oito dias de sua estreia na Eurocopa contra a França, a Alemanha mostrou seu poder ofensivo com uma vitória retumbante por 7 a 1 sobre a fraca seleção da Letônia nesta segunda-feira em Düsseldorf, diante de mil espectadores.

Ao escolher a 138ª equipe do ranking da Fifa como o último adversário antes do torneio continental (que será disputado de 11 de junho a 11 de julho), a federação alemã obviamente queria dar à 'Mannschaft' um último empurrão para que ganhe impulso e confiança.

Manuel Neuer, que chegou a seu centésimo jogo da seleção alemã, e seus companheiros aproveitaram a oportunidade: impuseram ritmo, entusiasmo coletivo e também transformaram em gols as chances que tiveram.

Este triunfo não é esportivamente significativo, mas é importante no nível mental para uma equipe que tem despertado dúvidas, antes de enfrentar o "grupo da morte" da Euro em Munique contra a França (15 de junho), Portugal (19 de junho) e a Hungria (23 de junho).

Foram cinco gols antes do intervalo e cinco autores diferentes: Robin Gosens (19), Ilkay Gündogan (21), Thomas Müller (27), o goleiro letão Robert Ozols, que desviou um cruzamento de Kai Havertz (39) para o próprio gol, e Serge Gnabry (45).

O perigo alemão veio principalmente das penetrações na área de Havertz, autor do gol da vitória do Chelsea na final da Liga dos Campeões, que deu vários passes para trás, como no primeiro gol de Gosens.

- "Jogo convincente" -

Com seis mudanças, o ritmo caiu um pouco no segundo tempo, mas Timo Werner (50) e Leroy Sané (76) continuaram a festa.

O único aspecto negativo foi que mais uma vez Neuer não conseguiu evitar um gol. Aleksejs Saveljevs aproveitou uma falha de concentração da defesa e salvou a honra letã (6-1, minuto 75).

Para esta partida, o técnico da seleção alemã Joachim Löw escalou a equipe que deve enfrentar a França no dia 15 de junho. A seleção é a mais velha dos últimos 19 anos, com média de idade de 29 anos, e é reforçada, é claro, pelos quatro 'sobreviventes' da equipe campeã da Copa do Mundo de 2014 no Brasil: Neuer, de 35 anos, Toni Kroos (31) e os dois repatriados Müller e Mats Hummels (31 e 32), que foram convocados novamente para a Eurocopa após serem descartados em 2019 devido ao fiasco da Copa do Mundo de 2018 e com o objetivo de renovar o time.

Ao optar por uma defesa de três homens comandada por Hummels, Löw colocou Joshua Kimmich no lado direito e não como meia defensivo como no Bayern.

À frente, o treinador evitou novamente colocar um centroavante, formando um trio ofensivo com Müller, Gnabry e Havertz. Werner entrou no segundo tempo.

"O resultado não é o mais importante, mas o caminho é", comemorou Müller. "Vimos um jogo convincente, mas sabemos que a França é de um calibre diferente da Letônia, é claro", reconheceu.

cpb/fby/gh/mcd/aam