Alemão é flagrado no antidoping e derrota de 'Bulldoguinho' no UFC pode ser anulada

O lutador alemão Khalid Taha foi flagrado em um exame antidoping e punido pela USADA (Agência Antidoping Americana) pelo período de um ano. Após a aplicação da pena ser aceita pela equipa do atleta, o caso, seguindo as normas da entidade, se tornou público – e agora pode favorecer um atleta brasileiro.

Afastado oficialmente do octógono na última segunda-feira (23) referente à pena retroativa ao dia 6 de outubro, data do exame colhido, Khalid pode ter sua vitória sobre Bruno ‘Bulldoguinho’ Silva anulada. A finalização sobre o brasileiro – duelo que marcou a estreia do atleta da ‘Pitbull Brothers’ no evento – ocorreu no card do UFC 243, na Austrália, realizado um dia antes do teste antidoping.

De acordo com as normas da USADA, a análise sobre uma possível alteração no resultado fica a cargo das comissões atléticas e do próprio UFC, que costuma punir competidores que são flagrados durante o período de competição – até 72 horas antes do combate.

Ainda conforme o laudo oficial da entidade, o atleta alemão testou positivo para uma substância chamada furosemida, que atua como diurético ou até mesmo como um produto para mascarar o uso de demais substâncias ilegais. Para este tipo de caso, se tratando do primeiro flagra do lutador, a pena máxima a ser aplicada seria de um ano.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também