Alberto Valentim classifica boatos como 'nojentos' e revela que vice o obrigou a mudar escalação do Cuiabá

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Ainda invicto com o Cuiabá, Alberto Valentim foi demitido após a estreia do Dourado na Série A do Brasileiro. A equipe auriverde empatou em 2 a 2 com o Juventude, o suficiente para a diretoria demitir o treinador. Em seguida, rumores relacionados a vida pessoal e questões de desentendimento com dirigentes do Cuiabá foram compartilhados na internet. Nesta segunda-feira, Valentim desmentiu os boatos no programa "Seleção SporTV".

O técnico revelou que o vice-presidente do Cuiabá, Cristiano Dresch, quis interferir na escalação da equipe e categorizou o relacionamento com o diretor como "desgastado". Ele também conta que já sabia previamente da possibilidade da demissão.

Leia também:

- Desde a minha chegada, eu fui muito aberto, o Cristiano sabe disso. Sempre deixei que fizesse as colocações dele, eu tinha as minhas, algumas não concordávamos. No domingo, quando fomos campeões (do estadual), falamos 47 minutos, porque respeito muito as hierarquias, mas tudo tem um limite. Então, quando uma coisa começa a ser levada muito para dentro do campo, querendo quase obrigar que eu colocasse certos jogadores ou tirasse outros, isso já fica um pouco mais, o relacionamento começa a ficar um pouco desgastado. Na semana que passou ele foi muito incisivo em algumas colocações - disse o treinador.

- Depois do empate, pelo que eu soube quinta e sexta-feira... Eu até imaginava e não quis externar isso para ninguém, nem dentro da minha casa, para minha mulher, e nem para os jogadores porque eu não queria colocar nenhuma pressão a mais do que todos os jogadores já têm porque achei que seria uma coisa que poderia nos prejudicar no jogo. Os jogadores só souberam dessa conversa que estou falando, dessa pressão de escalar um ou outro que não vinha jogando... Só citei isso a eles, ficaram incrédulos com a demissão. Só passei isso depois do jogo - afirmou.

Em seguida, Valentim desmente os rumores envolvendo sua vida pessoal e os classifica como "inverdades nojentas".

- Foram inverdades muito nojentas, uma nojentíssima que foi em relação à minha vida pessoal e a família também do Cristiano Dresch. A outra que não é verdade é que eu tive uma discussão com o Elton. Não teve nada disso, pelo contrário, os jogadores se mobilizaram, não deixaram nem eu sair da minha sala dentro da Arena pra que eles tentassem reverter essa situação - completou.

Já o vice-presidente, assumiu a responsabilidade da demissão e diz que o Cuiabá errou na contratação de Alberto Valentim.

- O erro não foi ter mandando ele embora agora, foi ter contratado. Nós erramos na contratação. Nós da diretoria assumimos esse ônus e essa culpa. Ele foi demitido após o início do Brasileiro porque resolvemos dar mais uma chance - ponderou Cristiano Dresch.

Cristiano conta também que o clima de insatisfação com o rendimento do trabalho de Valentim já tomava conta dos bastidores do clube antes mesmo da estreia no Brasileiro.

- Existiam vários problemas táticos, problemas de escalação, de substituição. O Alberto tem ótimo relacionamento, trabalha muito, decente, mas que tem um estilo de jogo que ele escolheu. Eu não posso ficar interferindo no que o treinador vai fazer. Ele ganha muito bem pra isso. A partir do momento que não estávamos mais satisfeitos, tentamos dialogar. Ele preferiu continuar com as ideias dele e nós, como donos do clube, tomamos a decisão de demitir - pontuou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos