Alan Kardec marca e se torna o maior artilheiro da história do Chongqing Lifan

LANCE!
·2 minuto de leitura


Mais um daqueles dias especiais que ficarão marcados na carreira de Alan Kardec. Neste domingo, o atacante deixou a sua marca na vitória de 2 a 0 do Chongqing Dangdai Lifan sobre o Shanghai Shenhua e se tornou o maior artilheiro da história do clube, com 56 gols em 106 partidas. Mas essa foi só a cereja do bolo de um jogo dos mais emocionantes desta edição da Superliga Chinesa.

Como o Chongqing caiu diante do Jiangsu Suning nas quartas de final, acabou entrando no playoff que define do 5º ao 8º lugar da competição. E, após perder por 3 a 1 o jogo de ida para o Shanghai, precisava vencer por dois gols para forçar, ao menos, uma prorrogação. E foi o que aconteceu. Em dois minutos, aos 18 e 20 minutos do segundo tempo, foi justamente o capitão Alan Kardec que entrou em cena para decidir.

Primeiro, numa bela assistência para Marcelo Cirino abrir o placar. Em seguida, recebeu do também brasileiro Marcinho para marcar o gol que deixa seu nome marcado na história do clube, fundado apenas em 1995. Só nesta edição da Superliga Chinesa, o atacante, que chegou à China em julho de 2016, fez oito gols em 13 partidas, além de ter dado quatro assistências.

Mas o jogo ainda não havia terminado. Nos 30 minutos de prorrogação, nada de gol. O adversário do Shandong Luneng para lutar pelo quinto lugar seria decidido nos pênaltis. Alan Kardec foi o primeiro a cobrar e marcou. Nas 17 cobranças seguintes, nenhum erro, todos converteram. O ex-atacante de Vasco e São Paulo bateu também a 10ª penalidade de sua equipe (o Shanghai teve dois expulsos nos 120 minutos de jogo) e fez novamente. Até o equatoriano Bolaños, ex-Grêmio, perder e o Chongqing vencer por 10 a 9.

- O que não faltou hoje foi emoção. Não só por essa minha marca, que me deixa muito feliz, mas por tudo que envolveu a partida. Tínhamos que vencer por pelo menos dois gols e eles só foram sair na etapa final. Ajustamos os erros que cometemos no primeiro tempo, lutamos muito e definimos o jogo em dois lances seguidos. Buscamos o terceiro, mas a decisão acabou mesmo nos pênaltis. Nosso grupo está de parabéns por ter convertido todos. Eu mesmo fui obrigado a cobrar duas vezes. Agora, vamos buscar esse quinto lugar, o que seria inédito na história do clube - disse Alan Kardec.