Ainda fora de forma, Guarín retribui otimismo da torcida em estreia como titular no Vasco

Luiza Sá
LANCE!


Ao lado de Germán Cano, o colombiano Fredy Guarín é o jogador que mais gerou expectativas no torcedor do Vasco. Depois de estrear entrando no segundo tempo, ele teve a primeira chance como titular no time de Abel Braga no empate por 0 a 0 contra o ABC, pela terceira fase da Copa do Brasil. No Maracanã, o jogador mostrou que a empolgação pode valer a pena. No entanto, a forma física ainda deve pesar por mais um tempo.

Guarín ficou em campo por 68 minutos e acabou substituído por Marcos Júnior no segundo tempo. Antes do jogo, Abel já havia dito que o volante não tinha condições de atuar a partida inteira. Enquanto jogou, pelo menos nos primeiros minutos da etapa inicial em que estava com todo gás, deu opções no ataque, ajudou na criação e criou pelo menos quatro boas oportunidades para o Cruz-Maltino abrir o placar, o que não aconteceu.

Depois dos 25 minutos, o time todo caiu de rendimento. Também por conta da queda física do próprio Guarín, que, na formação pensada pelo treinador, é o responsável pela criação da equipe. No entanto, ele continuou tentando liderar as chegadas do time. Pesa contra a falta de velocidade, algo que Abel valoriza em Marcos Júnior, por exemplo, e a dificuldade em ajudar na marcação, deixando para Andrey e Raul a missão. Portanto, o meio-campo do Vasco ainda é cheio de espaços, mesmo com a melhora técnica.




Na segunda etapa, nos 20 minutos que esteve em campo, Guarín continuou tentando. Perdeu uma ótima chance logo nos primeiros minutos, mas o corpo já não correspondeu mais da mesma forma. A parte boa do total fica pelos bons chutes de média/longa distância e a elevação da qualidade técnica da equipe. Quando atingir o padrão físico ideal, pode ser capaz de dar ao Vasco a qualidade do último passe que anda faltando para a equipe durante todo 2020.

De acordo com números do "Footstats", Guarín deu três desarmes, todos certos, um drible, sofreu duas faltas e finalizou cinco vezes, sendo duas no alvo. Além disso, deu três lançamentos e trocou 19 passes certos e cinco errados.

Desde que chegou ao Rio de Janeiro em outubro de 2019, Guarín fez 12 jogos, com três gols marcados. Foi titular em nove partidas. Destas, apenas uma vitória, contra o Cruzeiro. Antes do duelo contra o time mineiro, o Cruz-Maltino havia vencido apenas três vezes - Botafogo, Internacional e CSA - e o volante entrou no 2º tempo, mas com boas atuações. A classificação na Copa do Brasil foi um ótimo jeito de começar o primeiro jogo de 2020 para tentar ter números melhores no novo ano com a camisa do Vasco.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também