Agora é oficial: Keisuke Honda reforçará o Botafogo em 2020

Sergio Santana
LANCE!
Keisuke Honda soma uma passagem pelo Milan (Foto: AFP)
Keisuke Honda soma uma passagem pelo Milan (Foto: AFP)


Finalmente, a diretoria do Botafogo conseguiu a contratação de peso para a atual temporada. Depois de longas e detalhadas negociações, Keisuke Honda vestirá a camisa da Estrela Solitária e jogará na América do Sul pela primeira vez na carreira. O meio-campista de 33 anos assinará um contrato válido até dezembro de 2020.

O negócio teve contornos de novela. Depois de ter sido oferecido pelo representante no Brasil, Honda não chamou muito a atenção, mas foi bancado por Nelson Mufarrej, presidente do clube, que ordenou uma proposta oficial na mesa do jogador. As conversas logo evoluíram e o japonês ficou impressionado com a repercussão da torcida nas redes sociais, comentando nas publicações de sua conta no Instagram e fazendo campanha no Twitter.


As negociações estavam caminhando tão bem que um dos dirigentes do Botafogo se antecipou, no início da semana, e deu o negócio como certo, mas o japonês, detalhista, não assinou antes de ter certeza de todas as minutas e exigências colocadas no documento. O meio-campista, ao lado do irmão e empresário, Hiroyuki Honda, fez questão de colocar todos os "pingos nos is".

Dos males, o menor. Apesar do anúncio precoce por parte da diretoria do Botafogo, Keisuke Honda será jogador do Glorioso e é esperado para a realização de exames médicos na próxima semana. O treinador Alberto Valentim, portanto, ganhará mais uma opção para o meio-campo - na posição, o comandante contra com Bruno Nazário, Leandrinho, Marcos Vinícius e Gabriel Cortez, este ainda não regularizado.

O próprio jogador, por meio de sua conta no Twitter, anunciou a parceria com o Botafogo. "Oi, tudo bem? Eu sou Keisuke Honda, muito prazer. Eu jogo no Botafogo, vamos nos ver no Rio de Janeiro, até logo. Tchau tchau.", disse o japonês, em português.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Quarto maior artilheiro da história da seleção japonesa, com 37 gols, Keisuke Honda aceitou diminuir o salário para entrar na realidade salarial do Botafogo. O japonês ganhará uma parcela fixa por mês mais bônus, que podem ser alcançados por metas de produtividade, como partidas disputadas, participações em gols e ações de marketing.

A parte fora das quatro linhas, inclusive, foi colocada em pauta pelo comitê de futebol do Botafogo antes da proposta ser realizada. Com a presença de Honda, o grupo espera que a marca apareça com frequência no mercado asiático e, desta forma, possíveis investidores para o projeto de clube-empresa e novos patrocinadores possam chegar ao clube.


De malas prontas, Keisuke Honda solicitou ao Botafogo para trazer um preparador físico e um analista de desempenho pessoais, que o acompanham em boa parte da carreira, e o clube não foi contra. Vale ressaltar que o meio-campista vai bancar os custos dos profissionais. O estafe do japonês já iniciou buscas por uma residência em uma zona nobre do Rio de Janeiro para o atleta e sua família, que também morará no Brasil.

O último clube de Honda foi o Vitesse-HOL, por onde atuou em apenas quatro partidas e ficou livre no final de dezembro. O meio-campista de 33 anos soma passagens por Nagoya Grampus-JAP, VVV-Venlo-HOL, CSKA Moscou-RUS, Milan-ITA, Pachuca-MEX e Melboune Victory-AUS.



Leia também