Agente denuncia assédio sexual do presidente da Federação Francesa de Futebol

A agente Sonia Souid denunciou nesta terça-feira, em declarações ao jornal esportivo  L'Équipe e à rádio RMC, que foi assediada pelo presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), Noël Le Graët.

"Ele me disse cara a cara, em seu apartamento, muito claramente, que se eu quisesse que ele me ajudasse, teria que ter relações", afirmou Souid, que desejava se reunir com Le Graët para discutir maneiras de promover o futebol feminino.

Em uma investigação, a revista So Foot tinha abordado comportamentos inapropriados de Le Graët, especialmente em mensagens de texto com conteúdo sexual, o que o chefe do futebol francês nega.

O dirigente de 81 anos tem uma reunião nesta terça-feira com a ministra dos Esportes da França, Amélie Oudéa-Castéra, por uma auditoria sobre o funcionamento da FFF.

A rádio France Inter revelou que "várias mulheres" tinham "denunciado na auditoria a atitude de Noël Le Graët com elas", algo que foi confirmado à AFP por uma fonte próxima ao assunto.

Segundo a France Inter, uma ex-diretora tinha "mostrado aos inspetores as mensagens de texto e mensagens de WhatsApp", que "não são ilícitas, mas (...) geram perguntas, levando em conta a relação hierárquica existente entre eles".

"Ele (Le Graët) liga muito. Tenho mensagens de voz e alguns SMS", afirma Sonia Souid.

Abordando suas interações profissionais no passado, a agente explicou que teve a sensação de que "a única coisa que o interessava, e peço perdão por falar de maneira vulgar, eram meus dois peitos e minha bunda".

A ministra Oudéa-Castéra, que pede a saída de Le Graët da FFF, parabenizou Souid no Twitter "pela coragem de seu testemunho".

Desde o domingo, o dirigente se encontra envolvido em outro assunto que gerou grande repercussão na França, ao se referir com palavras consideradas depreciativas a um ídolo do futebol do país, Zinédine Zidane.

Em declarações à rádio RMC, Le Graët disse que "nem teria atendido um telefonema" de Zidane porque sua única opção era renovar o contrato de Didier Deschamps no comando da seleção francesa, algo que foi anunciado no sábado, com o vínculo do técnico ampliado até 2026. Zidane sonhou durante muito tempo como candidato ao cargo.

O atacante Kylian Mbappé e a ministra Oudéa-Castéra, entre outros, criticaram as declarações de Le Graët, que na segunda-feira pediu desculpas por suas "palavras infelizes".

Segundo a AFP confirmou nesta terça-feira com fontes próximas ao assunto, Le Graët convocou para quarta-feira um Comitê Executivo extraordinário da FFF, no qual dará explicações sobre diferentes assuntos, incluindo a renovação de Deschamps, as declarações sobre Zidane e a auditoria do Ministério dos Esportes.

lh/ng/dr/cb