Agente cobra mais de R$ 460 mil do Cruzeiro na Justiça – entenda o motivo

Antonio Mota
·1 minuto de leitura

Em meio aos trabalhos para mais um ano na Série B, crise financeira e processo trabalhista movido por Dedé, o Cruzeiro vai ter que encontrar uma forma de lidar com mais uma cobrança na Justiça. Isto porque, a M9 Sports, empresa liderada empresário Giuliano Arana que agencia o zagueiro, notificou o clube cobrando comissões não pagas nos contratos do próprio Dedé e de Marllon.

Em notificação, conforme informações do ge, Aranda cobra um total de R$ 465.723,41. Além disso, o agente pede a condenação da Raposa ao pagamento da quantia em três dias – em ambas as cobranças. E, caso o valor não seja pago, ele solicita a penhora de bens do clube mineiro até se que alcance o montante. Cabe notar que ainda não houve decisão em nenhuma das cobranças.

O Cruzeiro e sua ‘dor de cabeça’ com Dedé. | Bruna Prado/Getty Images
O Cruzeiro e sua ‘dor de cabeça’ com Dedé. | Bruna Prado/Getty Images

Em ação sobre o contrato de Dedé, Aranda cobra que o Cruzeiro pague um total de R$ 432.685,35 – valor referente a 10 de 12 parcelas de R$ 34.166,66 (cada) que não foram honradas pela Raposa do “Termo de Ajuste de Pagamento de Comissão”, firmado em outubro de 2018.

Já a cobrança em relação ao zagueiro Marllon, que atuou na Celeste em alguns meses na temporada passada, o empresário requisita o pagamento atualizado de R$ 33.038,06, referente a duas parcelas de R$ 14 mil que não foram pagas.

Ainda conforme o ge, a M9 Sports alega que os valores deveriam ter sido quitados em marco e abril do ano passado, o que não aconteceu. O Cruzeiro, por sua vez, ainda não se pronunciou no processo.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.