Agüero ou Gabriel Jesus? City fatura com seus atacantes. Pior para Aston Villa... e Real Madrid

Goal.com

A disputa pela vaga de titular no ataque do Manchester City parece estar mais aberta do que nunca. Gabriel Jesus e Sergio Agüero estão correspondendo às expectativas de Pep Guardiola e o brasileiro tem motivos para colocar o argentino no banco. E vice-versa.

No último domingo, 1 de março, o City venceu o Aston Villa por 2 a 1 e garantiu mais um título da Copa da Liga. Agüero foi titular e foi ele quem fez o primeiro gol do time, aos 20 minutos do primeiro tempo. O camisa 10 chegou aos 22 gols em 28 jogos nesta temporada, encerrando uma sequência de quatro partidas sem balançar as redes.

Neste período de seca, Aguero viu Gabriel Jesus, seu concorrente direto, elevar o nível de seu futebol e colocar mais dúvidas na cabeça de Guardiola. O camisa 9 decidiu o jogo contra o Leicester, depois de entrar em campo justamente no lugar do ídolo dos Citizens, que pouco antes havia perdido um pênalti, e também fez uma incrível partida contra o Real Madrid, atuando a partida toda e deixando sua marca mais uma vez.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A atuação dele no jogo de ida das oitavas de final da Liga dos Campeões lhe rendeu muitos elogios de Guardiola: "Não há jogadores como ele no mundo. Quando ele joga pelas laterais, é muito difícil de parar".

Ao longo de toda a temporada, Jesus já marcou 18 gols nos 37 jogos que disputou. Média inferior à de Aguero mas o brasileiro tem mais gols na Liga dos Campeões do que o argentinno: cinco contra dois. O torneio é considerado pelo City como o principal objetivo da temporada e Jesus tem sido decisivo na competição.

Sergio Aguero Gabriel Jesus Manchester City 2019-20
Sergio Aguero Gabriel Jesus Manchester City 2019-20

Ou seja, a dupla de atacantes sul-americanos do City já soma 40 gols na temporada. Além de balançar as redes, os dois estão desempanhando papéis importantes em outras funções. Jesus tem quatro assistências na Premier League, uma a mais do que Agüero.

Defensivamente falando, os números jogam a favor de Gabriel. Ele rouba mais a bola do que Agüero (sete contra três), divide mais a bola (13 contra sete) e vence muito mais no jogo aéreo (34 contra somente três). E no ataque, embora o argentino chute mais ao gol, o aproveitamento em chutes certos é favorável ao brasileiro também: 62,5% contra 51,9%.

Se no final de 2019 Guardiola disse que "Agüero é insubstituível", o desempenho de seu camisa 9 pode estar colocando uma dúvida na cabeça do treinador. É claro que a história do argentino no clube é um fator de muito peso, mas o momento do brasileiro também fala alto.

Leia também