AFA mantém discrição em negociação com Sampaoli via celular

Após a nota de repúdio do Sevilla em relação ao assédio da Associação Argentina de Futebol a Jorge Sampaoli, técnico da equipe andaluz, o presidente da entidade que regula o futebol albiceleste, Claudio Tapia, não irá mais se reunir com o treinador pessoalmente na Espanha.

Tapia seguirá trabalhando em silêncio. Por conta da forte resistência do Sevilla, o presidente da AFA tentará prosseguir com as negociações de maneira discreta, e a comunicação com o favorito ao cargo, por ora, terá de acontecer por telefone.

Segundo o diário Clarín, Tapia já teria iniciado as tratativas com Sampaoli por whatsapp e deve se reunir com o advogado do treinador Fernando Baredes.

Ainda que o Sevilla se recuse a liberar Sampaoli, a AFA ainda pode ter o treinador caso pague a multa rescisória avaliada em 1,5 milhão de euros, o equivalente a R$ 5 milhões. Caso a entidade que regula o futebol argentino coloque o valor milionário na mesa, o time espanhol não poderá segurar Sampaoli.

Ainda assim, Tapia seguirá para a Europa para conversar com Lionel Messi, que irá depor na Fifa no próximo dia 4 de maio na esperança de que sua punição seja ao menos reduzida. A Conmebol que suspendeu o craque argentino por quatro jogos após ofender o árbitro auxiliar brasileiro Emerson Augusto de Carvalho na vitória sobre o Chile.