Advogado de Paulo André rebate Corinthians. Veja o que ex-zagueiro pediu de fato na Justiça

Yahoo Esportes
Paulo André terá direito a uma bolada de R$ 750 mil após vitória na Justiça contra o Corinthians (Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)
Paulo André terá direito a uma bolada de R$ 750 mil após vitória na Justiça contra o Corinthians (Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Desde segunda-feira, a decisão do Corinthians de não jogar mais aos domingos e à noite tem dado o que falar - a informação, inclusive, foi revelada com exclusividade pelo Blog. E o mais novo desdobramento deste caso diz respeito à resposta de Paulo André, por meio de seu advogado. O pivô da deliberação corintiana assegura que nunca cobrou nada a respeito de jogos aos domingos ou à noite.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Esportes no Google News

O Blog teve acesso ao processo e, de fato, não há qualquer menção às partidas noturnas. Embora Paulo André use o fato de ter jogado algumas dezenas de vezes aos domingos para cobrar a falta de folgas semanais.

Leia também:

Um trecho da ação na Justiça descreve a pedida do ex-zagueiro da seguinte maneira: “Deve ser o Reclamado (Corinthians) condenado ao pagamento de todos os domingos e feriados trabalhados pelo Reclamante (Paulo André), pois jamais compensados, devendo o pagamento ocorrer em dobro, conforme entendimento da Súmula n.º 146 do TST, acrescidos do reflexo do DSR em todas as verbas contratuais e rescisórias, tais como salário, 13º salário, férias +1/3 e FGTS + multa de 40%.”

Trecho do processo em que Paulo André cobra os feriados trabalhados, além da falta de folgas semanais
Trecho do processo em que Paulo André cobra os feriados trabalhados, além da falta de folgas semanais

A alegação de Paulo André por meio de seu advogado, João Henrique Chiminazzo, é de que o Corinthians só concedia as devidas folgas semanais quando as partidas eram realizadas nos sábados. Desta maneira, ele e o elenco descansavam no domingo e se reapresentavam na segunda. Porém, com os jogos no domingo, eram marcadas as reapresentações na própria segunda-feira, para trabalhos regenerativos.

A condenação de R$ 1,2 milhão a qual foi submetido o Corinthians também se deu por causa dos feriados trabalhados. O agora gerente de futebol do Athletico alegou que só tinha direito a folgar no Natal e Ano Novo, cobrando o ressarcimento pelas seguintes datas: 25 de janeiro, Carnaval, Sexta-feira Santa, 1º de maio, Corpus Christi, 9 de julho, 7 de setembro, 12 de outubro, 2 de novembro, 15 de novembro e 20 de novembro.

No fim, o Corinthians conseguiu chegar a um acordo com Paulo André e está pagando R$ 750 mil, de forma parcelada. Essa bolada não diz respeito apenas às questões das folgas e feriados. O ex-zagueiro pediu, entre outras coisas, direito de arena, prêmios não pagos referentes aos anos de 2011 e 2013, a unicidade do contrato (de junho de 2009 a fevereiro de 2014)...

Primeira parte dos pedidos feitos por Paulo André na Justiça
Primeira parte dos pedidos feitos por Paulo André na Justiça
O trecho que trata sobre a exigência de pagamento em dobro de feriados e pela ausência de folgas semanais
O trecho que trata sobre a exigência de pagamento em dobro de feriados e pela ausência de folgas semanais

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também